in ,

Jucilei: “Estou muito feliz aqui e espero encerrar (a carreira) no São Paulo”

O volante disse que abriu mão de uma boa grana para ficar no Tricolor e que se sente tão bem no clube, que pretende se aposentar jogando no Morumbi

Jucilei vive um ótimo momento no clube, é sempre um dos melhores da equipe a cada jogo. Esse e o momento do São Paulo no Brasileirão são motivos para comemorar. 

O volante estava no grupo do ano passado que brigou para não cair a competição inteira praticamente. 

“Lutamos contra o rebaixamento e sempre dizia nas entrevistas que 2018 seria diferente. O São Paulo não poderia passar por isso pela sua história, seu tamanho, pelas peças que chegaram e ajudaram muito. Esse ano é alegria. A pressão é totalmente diferente, você pode sair com sua família. Todo mundo quer o título. Sabemos que falta muito, mas está muito perto. Esse é o diálogo. É focar nesse segundo turno”, falou. 

Jucilei ficou no Tricolor depois de passar um ano emprestado pelo Shandong Luneng, da China. Ele assinou contrato definitivo até dezembro de 2021, e por se sentir tão bem no clube, pensa em aposentar no Morumbi.

“Me senti muito à vontade no São Paulo, apesar de ter saído de um rival (Corinthians). Quando voltei, o São Paulo me recebeu de braços abertos. Mesmo 2017 sendo um ano muito difícil individualmente fiz um bom campeonato e minha família teve um peso grande. É fundamental estar perto das pessoas que eu amo”, comentou. 

“Claro que abri mão de dinheiro (para ficar), mas foi por uma causa muito boa. Não me arrependo. Estou muito feliz aqui e espero encerrar no São Paulo. Estou com 30 anos e tenho praticamente mais três anos e meio de contrato. Vou estar com 34. Quero parar com 35, então pretendo encerrar no São Paulo e ser feliz nesses ano”, ressaltou. 

Jucilei também comentou sobre o novo treinador do Tricolor, que em pouco tempo mudou o estilo de jogo e deu uma identidade “aguerrida” e “brigadora” para a equipe.

“Costumo falar que o Aguirre encaixou como uma luva. É um treinador muito bom e um cara sensacional. Na primeira reunião conosco falou que aqui não têm nomes e que ia jogar quem se entregasse, corresse e se dedicasse mais nos jogos. Isso está acontecendo. Particularmente quero que fique (além de dezembro) e possamos seguir juntos por mais anos para dar alegria ao torcedor do São Paulo com títulos. Também não posso deixar de falar da nossa união. Faz diferença”, finalizou. 

Foto: Marcelo Hazan

O que achou?

Escrito por Natália Milreu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0