in ,

Fernando Diniz explica função de Daniel Alves no São Paulo

Desde setembro no Morumbi, Fernando Diniz disse ter achado junto com o Daniel Alves a função de meio-campista como melhor para o São Paulo, por ser uma região do campo onde o jogador pega mais na bola.

O atleta atua como uma espécie de volante, com muita liberdade para iniciar as jogadas e se movimentar. Ele virou o artilheiro do elenco no ano, com cinco gols, e lidera constantemente estatísticas de passes certos nas partidas. Em 2019, com Cuca, o camisa 10 alternou entre lateral-direito e meia armador.

“Gosto do Daniel há muito tempo, desde 2010 ou 2008. Ele sempre me impressionou pela capacidade de se refazer dentro do jogo. É um cara que nunca desiste, muito dinâmico e gosta muito de ter a bola. Ele tem técnica, inteligência, coragem e personalidade para jogar futebol. No São Paulo, eu, ele e o time achamos juntos o melhor posicionamento para cada jogador, e para ele de maneria especial. Um cara que tem o volume de ações que ele tem, com personalidade e criatividade, esse jogador tem que pegar na bola o maior número de vezes possível. Ele gosta desse papel. Nós descobrimos juntos o melhor lugar para o Daniel”, disse Fernando Diniz, em entrevista à “ESPN Brasil”.

“No São Paulo ele se achou. Está fazendo um ano maravilhoso. O ano passado já tinha sido bom, mas esse ano está fazendo um Paulista e Libertadores muito positivos. Está jogando muito. Outra coisa que o Daniel faz: ele consegue melhorar os jogadores ao lado dele. Jogando em uma região mais central isso acontece de maneira mais constante. Nesse momento ele se achou e acredito que na carreira seja um momento muito singular. Está se movendo em todos os lugares do campo, fazendo coisas que não podia fazer só na lateral direita”, completou Fernando Diniz.

O técnico do São Paulo comentou sobre como será a atuação desse novo Daniel Alves na Seleção.

“Concordo com o Tite que especificamente para mim ele ainda é o melhor lateral-direito do mundo. Quando ele voltar para a Seleção para ser o lateral ele não vai voltar disfuncional. Faz isso a vida inteira. Ao contrário. Ele vai voltar com muito mais recurso. Vai ter mais facilidade do que já tinha para jogar na lateral. Essa é a minha crença”, disse o treinador.

Fernando Diniz também opinou sobre o que espera que aconteça quando a pandemia do novo coronavírus terminar.

“Espero que a sociedade, não só do Brasil, mas mundial, perceba que o mundo é cada vez mais uma ilha. Todas as pessoas precisam umas das outras. Essa desigualdade social no mundo não tem razão de ser. Podemos distribuir melhor a riqueza do mundo. O mundo produz muita riqueza, mas quanto mais riqueza a gente produz maior fica a desigualdade. A sociedade tem de repensar e procurar diminuir a desigualdade. No fundo, temos de viver cada vez mais em comunidade e se respeitando. É tentar viver de uma maneira mais equilibrada”, finalizou.

FOTO: Marcelo Hazan

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara