in ,

Direitos de transmissão do Brasileirão terá novo formato de pagamento

A partir desta temporada do Campeonato Brasileiro da Série A, os clubes terão pagamentos diferentes de direitos de transmissão adquiridos pela televisão

Nesta temporada, os clubes terão um novo formato de pagamento dos direitos de transmissão adquiridos pela televisão do Campeonato Brasileiro da Série A. 

Algumas regras dessa divisão podem fazer com que um clube campeão receba 9,13 vezes mais que o lanterna da competição, dependendo de algumas variáveis. É o que mostra um estudo realizado pela consultoria E&Y, aplicando as regras do novo modelo ao que aconteceu na temporada 2018.

Vale frisar, no entanto, que a situação atual não é muito diferente da que já acontecia. Em 2017, por exemplo, Flamengo Corinthians já receberam 7,39 vezes mais que o Atlético-GO, 20º colocado naquele ano.

O CÁLCULO 

De acordo com o estudo, TV aberta e fechada, considerando valores de Globo e Turner, vão render cerca de R$ 1,1 bilhão aos clubes.

Pelo novo acordo, os repasses serão feitos em três momentos e percentuais:

– 40% será pago de maneira igualitária, mensalmente, sendo 75% entre janeiro e junho e 25% de julho a dezembro;

– 30% será repassado de acordo com o número de partidas exibidas, entre maio e dezembro;

– 30% será repassado de acordo com a colocação na tabela, somente ao fim do torneio, em dezembro.

Além do formato, outra mudança está na comercialização dos direitos nas diferentes plataformas. 

O PPV deve render R$ 650 milhões aos clubes. Quem tem mais torcedores recebe mais. Ou seja, desse valor, Flamengo e Corinthians têm um mínimo garantido de 18,5%. O restante será dividido proporcionalmente entre os clubes, de acordo com uma pesquisa nacional. 

Com a mudança, o primeiro impacto será no fluxo dos caixa dos clubes, já que a maior parte das receita só entrará no fim do ano. Em outros termos, um clube só saberá efetivamente quanto receberá por sua participação no Brasileiro no fim do ano.

Tal divisão força os clubes a terem um planejamento financeiro bem mais detalhado, já que só saberão quanto valeu, de fato, a participação deles no torneio no fim do ano. E com um agravante: Os rebaixados não receberão nada além de suas partes nos 40% iniciais.

Foto: ESPN
Fonte: ESPN

O que achou?

Escrito por Natália Milreu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0