in ,

Súmula de São Paulo x Ceará foi divulgada e deixou Ceni e Casares na bronca

Péssima arbitragem de Maguielson Lima. Foto: Fabiane de Paula/SVM

O jogo do Tricolor paulista contra o Ceará, no último domingo (18), foi marcado por expulsões e confusões na arbitragem. A CBF divulgou a súmula e análise do VAR

No último domingo (18), o São Paulo venceu o Ceará na Arena Castelão, mas a partida foi marcada por diversas polêmicas envolvendo arbitragem. Na segunda-feira (19), a CBF divulgou os registros feitos em súmula pelo árbitro Maguielson Lima Barbosa.

A primeira confusão no confronto aconteceu após um suposto pênalti não marcado para o Vozão, quando Richardson caiu na área após um contato de Diego Costa.

A outra surgiu também em relação a uma penalidade, desta vez anulada, referente a Luiz Otávio e Calleri. O zagueiro da equipe nordestina levou um cartão vermelho após análise do VAR sendo que antes tinha tomado um amarelo. Assim, foi expulso e já é desfalque certo para o próximo jogo do Ceará contra o Coritiba. E com a anulação do pênalti, foi marcada somente uma falta fora da área.

Maguielson Lima Barbosa tem 31 anos e atuou em 14 partidas nesta temporada. A atuação do árbitro gerou reações negativas nas duas equipes. O Ceará já informou que irá enviar uma representação para a CBF por conta da atuação do juiz. Já o São Paulo contou com respostas de Rogério Ceni e do presidente Julio Casares.

O treinador do Tricolor paulista questionou algumas atitudes do árbitro e das ações do VAR. Mas destacou que considera a justificativa de ‘falta de experiência’, muito pela questão de ser o profissional novo.

“Eu prefiro não falar mais de arbitragem. Acho que o árbitro que apitou hoje tem que ganhar experiência e isso é natural. Eu como treinador preciso ganhar, o atleta que é jovem precisa ganhar rodagem. Eu notei muita insegurança, no pênalti que foi ou não, nem sei porque teve VAR. Se apita que é fora da área, o juiz avisa e dá expulsão. Eu não sei porque apitou para ele tirar a conclusão. O tanto de gente que tem lá e é paga, não chegam em uma conclusão? Faz parte, árbitro mais jovem que está estreando. Não entro mais em problema de arbitragem, tem me feito melhor evitar falar sobre”, disse.

o presidente do clube, Julio Casares, destacou que foi uma partida com muitos erros e que era preciso ressaltá-los, mesmo que ‘não seja tão comum para o clube reclamar’. O dirigente citou o caso do pênalti não marcado e de entradas mais duras de jogadores adversários que também não foram relatadas.

“Uma grande vitória, parabéns a todo elenco, ao torcedor. Mas temos que registrar algo aqui que não costumamos fazer: reclamar da arbitragem. Um pênalti claro, que não foi marcado, uma interferência indevida do VAR… uma péssima arbitragem. E lances para expulsão: o lateral Nino Paraíba já tinha entrado forte no Wellington, depois, entrou forte no Patrick, sem contar a entrada do Jô no Luciano”, protestou Casares.

Em súmula, foram registrados os cartões amarelos de Luciano (por retardar o reinício da partida), Nestor (por uma tentativa de rasteira no adversário), Gabriel Lacerda (por segurar o adversário e impedir um ataque promissor), João Ricardo (por reclamação contra a arbitragem), Jô (por uma entrada) e Richard (também por reclamação).

Quantos aos cartões vermelhos de Luiz Otávio e Zé Roberto, foram registradas as seguintes explicações:

“Por impedir uma oportunidade clara de gol fora da área penal, ao dar uma entrada no seu adversário na disputa de bola. informo que o atleta expulso deixou o campo de jogo normalmente”, escreveu o árbitro quanto a Luiz Otávio.

“Por dar um pontapé com o uso de força excessiva no seu adversário fora da disputa de bola, atingindo a panturrilha do atleta nº 04, da equipe São Paulo, SR. Diego Henrique Costa Barbosa. informo que o atleta expulso deixou o campo de jogo normalmente e o atleta atingido necessitou de atendimento medico e continuou na partida”, sobre Zé Roberto.

Foto: Fabiane de Paula/SVM

O que achou?

Escrito por Natália Milreu