in , ,

Gabriel Sara agradece Diniz pelo seu bom momento

Formado nas categorias de base do São Paulo, Gabriel Sara tem sido um dos jogadores mais efetivos da equipe nas últimas partidas

Super querido e bancado pelo técnico Fernando Diniz (mesmo quando todos o criticavam), Gabriel Sara tem sido cada vez mais participativo no sistema ofensivo do Tricolor. Além da boa marcação e boa saída de bola, o jogador tem feito gols importantes e participado bem mais das jogadas ofensivas.

Confiante, o meio-campista fez questão de agradecer o treinador ao celebrar seu bom momento com a camisa do clube do Morumbi.

“O professor Diniz além de treinador é um cara muito humano. Ele não quer ganhar você só como jogador, ele quer ganhar você como pessoa. É um cara que apoia muito a gente independentemente de ser dentro ou fora de campo. Ele me deu muita confiança em um momento difícil que passei, não só ele como o grupo todo também. Acredito que a gente tem que devolver cada vez mais essa confiança e tudo o que ele aposta na gente” agradeceu o jogador em vídeo publicado pelo São Paulo.

LEIA TAMBÉM:

Formado nas categorias de base do Tricolor, Sara fez seus primeiros treinos no CT da Barra Funda ainda sob o comando de Dorival Júnior, em 2018, mas não se firmou e voltou para Cotia. Entre altos e baixos, o jovem soube esperar para ganhar espaço e, nesta temporada, com Fernando Diniz vem sendo fundamental na equipe.

Na última quarta, por exemplo, o meia são-paulino participou das jogadas de todos os três gols do São Paulo contra o Fortaleza, no Castelão. No clássico diante do Santos, ele marcou os dois gols no empate em 2×2, na Vila Belmiro.

“A cada jogo que passa e a cada atuação boa minha, vou ganhando mais confiança e entendendo melhor o lugar onde eu estou. Tenho que me doar cada vez mais, sempre dando o melhor de mim”, concluiu.

Neste sábado, às 21h, o São Paulo, com Gabriel Sara recebe o Grêmio, no Morumbi, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida terá transmissão do SporTV e do Premiere.

FOTO: Rubens Chiri

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara