in ,

Fasson treina em clube do Chile, mesmo em litígio com São Paulo

Ex-Made in Cotia agora joga no La Serena, do Chile, porém o São Paulo contesta a saída, pois entende que seu contrato válido até junho de 2021 está ativo

O zagueiro Lucas Fasson iniciou treinamentos no La Serena, da primeira divisão do Chile. Em meio ao litígio com o São Paulo, o atleta acertou com seu novo clube, viajou e começou a trabalhar. 

O jornal chileno “El Día” publicou a imagem em sua edição deste domingo e confirmou o início dos treinos de Fasson. A ideia é inscrevê-lo no Campeonato Chileno na vaga de um outro zagueiro que lesionou o ligamento cruzado do joelho e ficará mais de seis meses afastado.

Jornal chileno El Día mostra Fasson, ex-São Paulo, treinando no La Serena — Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O Tricolor contesta a saída, pois entende que seu contrato válido até junho de 2021 está ativo, e notificou que cobrará do La Serena e o próprio jogador a multa rescisória do vínculo, de 40 milhões de euros (R$ 244 milhões).

Na visão do São Paulo, trata-se de uma transferência para um “clube ponte”, no qual o jogador fica por um período de tempo e depois vai para outro time. Seria um mecanismo para conseguir na Fifa a liberação do seu contrato.

Na Justiça, o São Paulo pede que o contrato de trabalho de Fasson seja reconhecido como ativo, baseado na legislação nacional, e também cobra uma multa por entender que o jogador assinou contrato com outro clube sem poder.

O CASO 

Fasson notificou o São Paulo com um pedido de rescisão unilateral do contrato, mas o Tricolor considera ativo o vínculo válido até junho de 2021.

O São Paulo aponta que a CBF negou ceder à federação chilena de futebol o Certificado de Transferência Internacional (ITC, na sigla em inglês) de Lucas Fasson para registro no La Serena. O Tricolor informou que há um litígio no caso.

Com um terceiro internacional interessado, a Fifa poderá entrar no caso para resolver a disputa. Em tese, esse cenário é favorável a Fasson, que se baseia no regulamento da entidade para rescindir com o São Paulo.

Fasson entende ter direito a sair livre porque cumpriu três anos do seu primeiro contrato profissional. Ele se baseia em regulamento da Fifa de que jogadores menores de 18 anos não podem assinar vínculos superiores a três temporadas – o dele tinha quatro anos de duração.

A entrada do La Serena na disputa por Fasson pode repetir o cenário de “clube ponte” do caso Bissoli. Ele saiu do São Paulo para um time da segunda divisão do Paraguai e depois foi ao Athlético-PR.

O Barcelona foi um dos clubes europeus notificados pelo São Paulo sobre Fasson, em junho. O Tricolor informou que, se houvesse acerto com o jogador, iria exigir o pagamento da multa rescisória.

Convocado para retornar aos treinos com o time sub-20 do São Paulo, Fasson não voltou mais a treinar no CT da base, em Cotia.

Fonte: Globoesporte.com
Foto: Érico Leonan / saopaulofc.net

O que achou?

Escrito por Natália Milreu