in ,

Ytalo fala sobre passagem no Tricolor e saída do clube

Em 2016, atacante teve uma passagem bem rápida pelo Tricolor, onde se lesionou gravemente no joelho

Ytalo atualmente está jogando no Red Bull Bragantino. Em entrevista para a Gazeta Esportiva, o atacante lembra da curtíssima passagem pelo São Paulo, em 2016, com um gol marcado, titularidade em semifinal de Libertadores e uma lesão grave no joelho.

“Eu tive uma passagem… não digo que foi destacada. Eu vim do Audax, cheguei lá e só consegui jogar 13 jogos, 12 pelo Campeonato Brasileiro, e um da semifinal da Libertadores – até o Ganso tinha machucado e eu tive que jogar na posição dele.”

“Eu vejo pelo o que me mandam que a torcida tem um carinho por mim, apesar de eu ter jogado pouco. Mas a passagem acho que foi trágica, até pela lesão que eu tive quando fui jogar na minha posição. O Calleri tinha sido vendido e eu machuquei o joelho logo no meu primeiro jogo como titular, em um clássico contra o Corinthians na Arena”, relembrou o atacante.

O jogador foi um dos jogadores que despontaram do Audax vice-campeão paulista sob comando de Fernando Diniz. Na época, Tchê Tchê foi para o Palmeiras, Chamacho para o Corinthians e o centroavante para o Tricolor.

Em julho, porém, após a saída de Calleri ter deixado o caminho livre para a titularidade, o reforço se machucou, ele sofreu lesão no menisco e também precisou passar por uma cirurgia para reconstruir o ligamento cruzado anterior.

“Fiz um gol só contra Cruzeiro, me empenhei nos jogos. Não tenho como dizer se foi boa ou ruim porque foram poucos jogos, mas pelo torcedor eu tenho carinho; só de receber mensagens pedindo para eu voltar para o São Paulo já é uma coisa muito boa”, disse. 

“(Eu) saí tranquilo. Me receberam muito bem quando eu cheguei. Eu que pedi para sair na verdade. Na época eu tinha operado e eles queriam me resguardar ao máximo para voltar bem do joelho e eu quis sair antes do tempo. Fui para o Audax com cinco meses de cirurgia, mas porque eu quis”, relatou. 

E completou: “Saí pelas portas da frente e só agradeço por ter passado por lá, se um dia tivesse que voltar, iria muito feliz. Hoje tenho outro pensamento na minha carreira, quero tranquilidade na minha vida e o Red Bull dá isso; você sabe que vai receber em dia certinho – no São Paulo também recebi em dia -, mas hoje o pensamento é outro.”

Foto: saopaulofc.net
Fonte: Gazeta Esportiva 

O que achou?

Escrito por Natália Milreu