in ,

Volpi não quer comparações com Ceni

Tiago Volpi foi questionado se bateria faltas e pênaltis no São Paulo, assim como ele fazia no Querétaro; se depender dele, essa possibilidade está longe de acontecer

Conhecido por cobrar pênaltis e faltas em seus tempos de Querétaro, Tiago Volpi negou repetir o hábito no São Paulo. O goleiro, considerado ídolo no clube mexicano, não quer repetir a dose no futebol brasileiro justamente por suceder um dos principais expoentes no assunto: Rogério Ceni.

“No Querétaro tenho quatro gols de pênalti e já bati duas faltas também, mas aqui no São Paulo não vejo a necessidade, porque temos excelentes cobradores de falta e pênalti. Se é uma situação de decisão por pênaltis, vou estar sempre inclinado a bater, porque fomos campeões no México assim”, afirmou Volpi, campeão da Copa México e Supercopa MX com o Querétaro, durante uma live no Instagram com o ex-atacante Reinaldo, que passou pelo São Paulo no início dos anos 2000.

No jogo de volta da semifinal do Campeonato Paulista de 2019, contra o Palmeiras, em pleno Allianz Parque, Tiago Volpi foi para a última cobrança e, caso convertesse, daria a classificação ao São Paulo, entretanto, acabou desperdiçando o arremate.

“Se tiver que bater como bati no ano passado, na semifinal contra o Palmeiras, vou bater, é uma coisa que gosto. Mas, a questão da falta acho desnecessário no momento, é querer trazer uma pressão desnecessária, uma comparação desnecessária [com o Rogério Ceni]. Prefiro ficar no meu canto do que ter esse tipo de comparação desnecessária”, prosseguiu.

“Nesse momento vou ser muito mais importante no que tenho que fazer do que um extra, que seria um pênalti ou uma falta, por mais que alguns torcedores queiram. Já recebi muitas mensagens de torcedores perguntando o porquê de eu não bater uma falta ou um pênalti. Não preciso ser igual o Rogério, ninguém vai ser igual a ele”, concluiu.

Volpi se lesionou na partida diante da LDU no Morumbi e foi substituído por Lucas Perri, que também entrou na última partida do São Paulo antes da paralisação do futebol. A vitória por 2 a 1 de virada, contra o Santos.

FOTO: Erico Leonan

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara