in ,

Volpi fala sobre recuperação, rendimento do São Paulo e nova rotina

Goleiro comenta sobre a fratura na mão que teve no dia 11 de março, no jogo da Libertadores, rotina em casa de treinamentos e balanço da equipe no começo do ano

Volpi fraturou o local no dia 11 de março, na vitória por 3 a 0 sobre a LDU, pela Libertadores, no Morumbi.

Em entrevista exclusiva ao GloboEsporte.com, Volpi explicou como está a recuperação da fratura. O goleiro do São Paulo está em casa, seguindo as recomendações das autoridades de saúde para evitar a propagação da pandemia do novo coronavírus.

“O prazo inicial falado é de seis semanas. Na quinta-feira completou duas semanas. Machuquei em uma quarta e comecei o tratamento na quinta-feira depois do jogo. Segundo a previsão dos médicos, mais quatro semanas para tirar a imobilização da mão para poder voltar a treinar”, disse. 

E completou: “Acredito que uma semana a mais para fortalecer. Já sinto um pouco de falta de força no braço por estar imóvel o tempo todo. Talvez uma semana a mais de fortalecimento no Reffis, mas o principal é a calcificação do osso.” 

“No meu caso é uma lesão diferente. O tratamento em si é mais para tirar a dor, porque o processo de cicatrização e calcificação do osso é o mesmo no Reffis ou em casa. O que fazia no Reffis era tirar o processo inflamatório para não ter tanta dor, mas não interfere muito nesse prazo. Vai mais de como o organismo responder para calcificar o osso.”

O goleiro do Tricolor explicou como está sendo a sua rotina de treinos em casa, por conta da pandemia. 

“Diferente como tem sido a de todo mundo. Mas ao mesmo tempo aproveitando outras coisas, desfrutando outras coisas que nos faltam tempo durante a temporada, a família e estar mais em casa. Aproveitando de uma maneira diferente.”

E completou: “Tenho treinado mais a parte funcional, sem muito movimento brusco com a mão. Hoje (quinta-feira) até passei um pouco do ponto no exercício que fiz. O ideal é não fazer salto. Mas interfere pouco, porque estou acostumado a treinar com bola. Mesmo que faça trabalho de força, você sente um pouco de falta. Nesse caso para mim também estaria machucado e não poderia (fazer os movimentos normais). Treinar em casa é diferente. Você tenta adaptar algo, mas não é realmente o ideal. Se for por um tempo não tão longo, a memória muscular fica gravada. Mas se for por muito mais tempo fica difícil de manter a forma física.”

Volpi também fez um balanço pessoal e coletivo do São Paulo nesses três meses de 2020. 

“O ano de 2020 vem sendo promissor. A temporada começou muito boa para o São Paulo. O lado individual vem acompanhado da equipe. Costumo dizer que uma coisa leva a outra. É bom. A equipe tem jogado bem. Tenho conseguido ajudar quando necessário. Vinha contente pelo momento que vinha vivendo, com o time em ascensão no Paulista e se recuperando com uma boa vitória na Libertadores depois de uma derrota fora de casa. Lógico que dá um “pause” nesse momento em que estávamos vivendo, mas não tenho dúvida que quando os treinos e competições voltarem vamos seguir nesse ritmo, e que 2020, no futebol, possa ser um grande ano para o São Paulo.”

Foto:
Fonte: Globoesporte.com

O que achou?

Escrito por Natália Milreu