in ,

Tironi: “Se precisar sacrificar os campeonatos estaduais, sacrifique”

A pandemia do novo coronavírus paralisou o futebol brasileiro por completo e a incerteza do retorno aos gramados coloca em dúvida como o calendário será resolvido pela CBF

Com os campeonatos estaduais precisando de um encerramento e longo Campeonato Brasileiro de 38 rodadas, além de Copa do Brasil, Copa Libertadores e Eliminatórias à Copa de 2022, o podcast Posse de Bola #25 projeta qual poderia ser a melhor solução para o futebol brasileiro quando as atividades forem retomadas. 

“Eu acho que o Brasileiro é o campeonato que você não pode abrir mão e não pode perder. E você deveria, para mim, sacrificar o restante. Se precisar sacrificar os campeonatos estaduais, sacrifique os campeonatos estaduais, tudo bem. Tire os grandes do campeonato estadual, faz um campeonato que continue com os pequenos jogando, enfim, eu acho que para o começo da conversa era: preserve o Campeonato Brasileiro como ele é”, afirma o jornalista Eduardo Tironi.

“Sem inventar um turno só, é claro que a gente não sabe quanto tempo isso vai demorar, mas sem mata-mata, sem mudar regulamento. Preservar o Campeonato Brasileiro, nem que ele invada um pouco no ano que vem, é do jogo. A minha proposta é essa”, completa Tironi.

Já Arnaldo Ribeiro acha que seria melhor, mesmo que concluindo os campeonatos estaduais, prolongar o Campeonato Brasileiro até a metade de 2021, aproveitando a oportunidade para adequar o calendário do futebol brasileiro ao europeu.

“É uma oportunidade não só de invadir um pouco 2021, mas invadir bastante, e de fato fazer o Campeonato Brasileiro digamos de agosto a agosto, quando possivelmente teremos a bola rolando no mundo todo se tudo correr bem. E correr bem a gente não sabe como, mas seria uma oportunidade dentro desse caos completo que a gente está vivendo”, afirma Arnaldo.

“Se tiver a oportunidade nesse meio tempo de terminar os estaduais, aí a gente cruza os assuntos, de como os grandes voltarão mais fortes ou os mais fortes voltarão mais fortes ainda. Os pequenos vão sofrer demais com essa situação que está ocorrendo”, completa. 

Fonte: Posse de bola – UOL
Foto: Reprodução

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara