Será que é verdade? Fica a dúvida…

O jogador pediu desculpas e disse que quem fez o post em seu Instagram reclamando que ia ser banco foi um funcionário, que já foi demitido

Em entrevista para o programa “Seleção SporTV”, o peruano Christian Cueva falou sobre as polêmicas que o envolveram neste início de ano no Tricolor.

A última, a mais grave, foi um post em seu Instagram, onde o jogador reclama de iniciar o jogo contra o Mirassol no banco e pediu para não ir viajar com a equipe para o interior por entender que ao ficar no banco não era importante para o time.

O post logo foi apagado, mas a repercussão foi grande, e a maioria dos torcedores não gostou do que leu. No programa, o jogador esclareceu o ocorrido dizendo que foi um funcionário que publicou aquilo e pediu desculpas.

“Primeiro, peço desculpas pelo caso, sobretudo para a torcida. Para explicar rapidamente, eu tenho um cara que trabalha com as minhas redes sociais. Rapidamente eu e meu empresário nos demos conta (da gravidade do post) e removemos a publicação. Ele havia colocado sem má intenção, algo errado, que não era a verdade. Pessoalmente, não estava nos meus planos buscar uma saída para poder jogar, mas agora que eu tenho que brigar por vaga na seleção, que todos os meus companheiros estão fazendo também em seus respectivos clubes, é isso que eu quero, é brigar para jogar no meu clube e poder ganhar o lugar tranquilamente na seleção também”, disse.

Na segunda-feira, o São Paulo recusou uma proposta de € 7 milhões (R$27,8 milhões) pelo meia. Em matéria no site oficial do Tricolor, Raí explica que depois disso o jogador pediu para não ser relacionado contra o Mirassol.

Porém, na entrevista, Cueva disse que não pretende sair agora do São Paulo, que está focado no clube e que quer reconquistar o seu espaço na equipe de Dorival Júnior.

“Eu tenho contrato com o São Paulo, respeito isso e sou muito agradecido ao São Paulo. Não dá para pensar em sair agora. O time teve um momento ruim jogando, e eu enfrentei, fiquei aqui, pus o peito, nunca deixei o São Paulo sozinho, nem eles a mim e nem os meus companheiros a mim. Tenho que trabalhar e seguir com a minha cabeça focada, em poder ganhar um lugar e ter também um lugar na minha seleção. Se estou dentro dos planos do técnico e do clube, tenho que seguir lutando por esse espaço”, falou.

Sobre o caso de atraso de seis dias na pré-temporada, o peruano explicou o ocorrido e disse que aceitou a multa numa boa. E ressaltou que apesar de ter começo a trabalhar depois da equipe, está em sua melhor forma fisicamente.

“O que aconteceu é que surgiu um contrato de publicidade, lá no Peru, e o clube não foi avisado no tempo correto. Eu tomei minha multa, aceitei. Mas já está tudo conversado, a multa foi imposta, e eu aceitei também. Está tudo esclarecido. Eu voltei, trabalhei. Mas ninguém fala que eu cheguei no meu melhor fisicamente. Eu vim no meu melhor, foi por isso que eu pedi para o técnico, contra o Novorizontino, para ir para o banco, porque queria ajudar os meus companheiros. Nunca se fala isso. Eu também não quero falar, eu sei quem eu sou. Quero ajudar o clube. Vou guardar para mim, não estou aqui para falar de ninguém, só para trabalhar”, finalizou.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *