São Paulo registra déficit orçamentário de R$ 77 milhões

Clube investiu pesado em jogadores nesta temporada, mas em compensação, saiu das competições importantes muito cedo, e contava com um dinheiro que não era garantido 

Segundo o UOL Esporte, o São Paulo acumula um déficit orçamentário de R$ 77 milhões na temporada. O clube soltou um relatório interno com os detalhes da situação financeira. O documento mostra receitas abaixo do que foi inicialmente projetado e admite que a solução para as contas do clube passa por mudanças no elenco do futebol profissional, com vendas de jogadores. 

O planejamento é readequar o elenco de atletas no sentido de reduzir custos e prover receitas suficientes, substancialmente com a negociação de direitos federativos de atletas profissionais e com melhor desempenho esportivo da equipe de futebol, para manter o custeio mensal do futebol profissional e reduzir o endividamento geral do clube“, diz o texto. 

O resultado total do São Paulo até agosto de 2019 é de R$ 76,6 milhões negativos. O endividamento teve aumento de R$ 144 milhões em relação a dezembro de 2018, atingindo R$ 414 milhões. 

A quantia que o clube imaginava receber nesta temporada caiu drasticamente por conta das eliminações precoces na Copa Libertadores e na Copa do Brasil.

O clube também contava em arrecadar um bom dinheiro com vendas de jogadores, o que não aconteceu até o momento. Até agora foi R$ 71 milhões arrecadados, menos do que os R$ 121 milhões projetados. Depois aparecem as receitas de TV: R$ 65 milhões, em relação a R$ 118 milhões projetados.

No caso das receitas de televisão, a queda no valor é atribuída às eliminações na Libertadores e na Copa do Brasil e a mudanças no formato de remuneração após a renovação de contratos de TV aberta e pay-per-view com a Globo. 

As despesas, por sua vez, estão marginalmente abaixo do projetado. O clube gastou, até agosto de 2019, R$ 314,3 milhões, abaixo dos R$ 315 milhões previstos no orçamento. A redução é de cerca de 0,2%. A maior despesa é com o departamento de futebol profissional, que custou até agosto cerca de R$ 229 milhões. O número inclui salários, direitos de imagem, comissões a empresários, despesas com jogos e outros gastos. 

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press
Fonte: UOL Esporte