in , ,

São Paulo não paga nada ao vôlei e Zé Roberto está bancando o projeto do próprio bolso

São Paulo não paga nada ao vôlei e Zé Roberto está bancando o projeto do próprio bolso - Foto: Igor Amorim / saopaulofc.net

O São Paulo até agora não honrou seu compromisso de patrocinador e nenhuma empresa coloca dinheiro direto no clube, então o treinador paga todas as contas do São Paulo/Barueri

Zé Roberto paga todas as contas do São Paulo/Barueri desde o início da temporada. Desde salários, almoços, jantas, e até lençóis para as meninas. Isso porque o São Paulo não honrou seu compromisso de patrocinador e nenhuma empresa coloca dinheiro direto no time.

LEIA MAIS
Crespo muda horários de treinos no São Paulo
Lugano será comentarista por ESPN e Fox Sports
História muito mal contada essa do Luan

Segundo o UOL Esporte, o clube é um patrocinador da equipe, mas não está pagando o acordado. Zé diz que confia que a situação será resolvida, mas já prevê “entubar” parte do prejuízo.

“Esse projeto está vivo por uma questão de amor ao esporte, por uma questão de acreditar que um dia tudo vai ser melhor, por acreditar nas pessoas, por trabalho, dedicação, atitude. Eu não ganho nada do projeto. Boto do bolso. Estou aqui porque eu gosto, vejo os olhos de cada uma. Levanto cedo porque sei que eu preciso estar aqui”, falou.

E completou: “Eu não quis incomodar o (presidente Julio) Casares em função do time de futebol, de toda essa pressão que ele está vivendo: começa 2021, time perdendo, manda o treinador embora… enfim. Por ser são-paulino eu não quero ir para as vias de fato, quero conversar com o Casares, esperar a resposta.”

Zé disse que não irá conseguir bancar a equipe em mais uma temporada.

“Eu não consigo levar (para a temporada 21/22). Eu não dou conta. Eu não posso bancar de novo. Não posso fazer isso com a minha família. Eu posso trabalhar de graça, posso ceder o espaço, mas não posso ficar bancando o time. Eu não tenho cabeça para isso mais”, alerta.

Foto: Igor Amorim / saopaulofc.net
Fonte: UOL Esporte

O que achou?

Escrito por Natália Milreu