in ,

São Paulo joga contra a Inter de Limeira com espaços de publicidade em branco no uniforme

Conheça a novo linha de treino/viagem do São Paulo

Nesta quarta-feira (3), o São Paulo enfrenta a Inter de Limeira, nesta quarta-feira, às 17h com o principal espaço publicitário de seu uniforme em branco

Contrato com o banco Inter terminou no último fim de semana e não foi renovado, com isso, o São Paulo negocia para que a empresa volte a expor a marca na camisa tricolor, mas, enquanto um novo acordo não é fechado, o espaço ficará vazio.

Outras empresas que estavam na camisa do São Paulo também tiveram os contratos encerrados em fevereiro e não estarão na camisa: MRV, SPFC Chip, Urbano Alimentos e BetSul. Dirigentes afirmam que mantêm conversas com todas elas.

LEIA MAIS:
Inter de Limeira x São Paulo: Data, hora e canal para assistir essa partida
São Paulo renova contrato com João Rojas
Saiba em que pé estão os reforços especulados no Tricolor

Nesta semana, o São Paulo treinou com apenas duas marcas expostas no uniforme de treinos da equipe: Cartão de Todos e PES, jogo de videogame da Konami. Além delas, Cimento Kaue e Gazin seguem na camisa nesta quarta.

O banco Inter pagava cerca de R$ 1 milhão por mês ao São Paulo. O acordo era maior até o meio da temporada passada, cerca de R$ 1,5 milhão mensais, mas diminuiu ao ser ampliado até o final de 2020 em meio à crise causada pela pandemia de Covid-19. No fim do ano, o contrato foi estendido até o encerramento do Brasileiro.

O valor, porém, é considerado baixo pelo São Paulo, que quer valorizar a camisa do clube.

Uma revisão orçamentária apresentada no final do ano passado estimava que o São Paulo arrecadaria R$ 36 milhões em publicidade em 2020. Para 2021, a previsão do orçamento é ainda mais modesta, de apenas R$ 16 milhões.

Como comparação, em janeiro o Corinthians anunciou que o acordo com a Neo Química para ocupar o espaço máster da camisa alvinegra renderá R$ 17 milhões fixos por ano ao clube.

Foto: Reprodução
Fonte: Globoesporte.com

O que achou?

Escrito por Natália Milreu