São Paulo é obrigado a usar renda milionária para quitar dívida de 2002

0

Justiça condenou o tricolor a pagar quase R$ 2,5 milhões à empresa que intermediou, há 13 anos, comissão a empresário de Jorginho Paulista

O São Paulo vai ter de recorrer à milionária renda da vitória por 1 a 0 sobre o Cruzeiro, pela Taça Libertadores da América, no Morumbi (R$ 3.672.805,00), para quitar uma dívida cobrada na Justiça. Depois de 13 anos, o clube foi condenado a pagar R$ 2.495.585,55 à Prazan Comercial Ltda. A empresa foi responsável, em 2002, pela comissão de R$ 732 mil ao empresário de Jorginho Paulista – com os reajustes ao longo do processo, o valor passou a ser milionário.

Tirando o valor da dívida e os descontos com os custos da partida (INSS, taxa da Conmebol, da FPF, Polícia Militar e outras despesas), sobrarão apenas R$ 155 mil para o Tricolor.

+ Novidades para o jogo de amanhã

+ Torcida organizada do tricolor é punida

O São Paulo tem até o dia 21 de maio para depositar o valor em juízo. A dívida foi adquirida na gestão do ex-presidente Marcelo Portugal Gouveia. À época, quando soube que uma empresa havia depositado a comissão ao empresário de Jorginho Paulista para receber do clube adiante, o então mandatário mandou cancelar o pagamento. De acordo com dados do processo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, então diretor de futebol, foi quem autorizou o intermediário.

– Não me lembro. Foi em 2002, já faz 13 anos. Comissão no futebol é a coisa mais banal. Por algum motivo, que não me lembro, não foi pago – disse Leco, agora presidente do Conselho.

Consta no processo movido pela Prazan Comercial que Jorginho Paulista foi contratado pelo São Paulo no dia 4 de julho de 2002. E que só no dia 5 de outubro daquele ano é que Carlos Augusto de Barros e Silva teria autorizado a empresa a pagar o valor da comissão ao empresário. Só que os intermediários nesse pagamento não receberam o dinheiro de volta.

Atual presidente, Carlos Miguel Aidar foi pego de surpresa ao receber a intimação da Justiça. A ideia do mandatário era juntar o que restaria da renda da partida com o Cruzeiro com o valor de adiantamento da Under Armour, nova fornecedora de material esportivo, para quintar os dois meses de direito de imagem do elenco que estão atrasados. Ele pediu paciência aos atletas.

Leave your vote

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.