São Paulo aposta em ‘patrocínios curtos’ para não desrespeitar Estatuto

Durante a paralisação do calendário nacional em virtude da pandemia de coronavírus, o São Paulo fechou dois contratos para a sequência de 2020: Banco Inter e iSure

Apesar de celebrar a obtenção de novas receitas em contexto de escassez na arrecadação, muitos torcedores não entenderam a opção do clube por fechar contratos de curtíssima validade.

Segundo informações do UOL Esportes, a explicação para essa decisão está no próprio Estatuto do São Paulo, que garante ao Conselho Deliberativo a primazia de “aprovar previamente à sua eficácia a celebração de qualquer contrato, provisório ou definitivo, cuja vigência extrapole o mandato da Diretoria Eleita, exceto aqueles relacionado às contratações de atletas e comissão técnica”.

+ Veja o acordo fechado entre São Paulo e Isure

Como a pandemia de coronavírus tem impedido a realização de reuniões do Conselho Deliberativo, a diretoria são-paulina seguiu o direcionamento de fechar acordos pontuais para que não ultrapassem o período do mandato vigente, evitando a imposição de vínculos que adentrem a gestão seguinte.

Vale lembrar que o Tricolor Paulista passará por novas eleições no fim deste ano.

Foto: Twitter oficial SPFC

Leave your vote

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.