in , ,

Relato da vergonha: São Paulo 0 x 4 Flamengo

São Paulo 0x4 Flamengo; Domingo (14/11), no Morumbi. (Foto: Divulgação / futebolbahiano.org)

Hoje, o relato do jogo será um pouco diferente, mas não deixaremos de dar nossa opinião e nossa visão de mais um jogo patético desse time (elenco) nojento

O São Paulo foi goelada pelo Flamengo na tarde deste domingo (14) por 4 a 0, no Morumbi, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro e ainda perdeu uma invencibilidade de dez anos sem perder para o rival no Estádio Cícero Pompeu de Toledo.

Os visitantes marcaram dois gols nos três primeiros minutos de jogo, com Gabigol e Bruno Henrique. Erros grotescos de Liziero e Diego Costa. Ainda na primeira etapa, Calleri foi expulso e Michael ampliou o placar. O atacante marcou mais um no segundo tempo.

COMO FICA?

Com o resultado, o Tricolor caiu para a 15ª posição, com 38 pontos, e segue correndo risco de rebaixamento. Estamos apenas há dois pontos do primeiro time dentro do Z4.

PRÓXIMO JOGO:

O São Paulo terá o clássico contra o Palmeiras, na próxima quarta-feira (17), às 20h30, no Allianz Parque.

O JOGO

Com 23 segundos, Liziero vacilou na saída de bola, Andreas desarmou, Bruno Henrique fez o passe e Gabigol tocou na saída de Volpi para abrir o marcador.

Menos de três minutos depois, Everton Ribeiro serviu Michael, que deixou Diego Costa para trás e rolou na medida para Bruno Henrique escorar para a rede.

Antes dos 10, Calleri foi expulso após falta dura em David Luiz. O árbitro Leandro Pedro Vuaden foi até o VAR rever a jogada e mostrou o cartão vermelho para o atacante argentino.

Só dava Flamengo no jogo. Volpi louco para entregar, nada pôde fazer em um belo chute de Michael, que aos 41 da primeira etapa, fez 3 a 0.

Tricolor “melhora no segundo tempo. E com cinco minutos, tem duas chances de diminuir, com Vitor Bueno e Luciano, mas nenhum conseguiu concluir em gol.

Quando o São Paulo parecia que poderia marcar um gol, Michael fez o quarto do Flamengo, para dar números finais ao jogo.

Foto: Divulgação / futebolbahiano.org

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara