in ,

Reinaldo sobre Diniz: “Vamos lutar muito para esse trabalho dar certo”

Lateral falou em entrevista para o site Goal.com sobre empréstimos e volta ao São Paulo, temporada 2018/19 e trabalho com Diniz

Em entrevista para o site Goal.com, Reinaldo, que chegou pela primeira vez no São Paulo em 2013, comentou sobre o trabalho de Diniz, relembrou os clubes em que passou por empréstimo até voltar ao Tricolor como titular. 

Veja a entrevista abaixo: 

DESDE QUE CHEGOU NO CLUBE PELA PRIMEIRA VEZ, QUAL O BALANÇO DA SUA TRAJETÓRIA? 

No começo, quando eu vim, tinha três ou quatro laterais esquerdos comigo, uma concorrência muito grande. Mas eu continuei trabalhando firme e forte, tive a oportunidade de fazer meus jogos, ir bem no começo da temporada. Depois deu uma caída, fui emprestado para Ponte preta, Chapecoense, consegui ganhar mais experiência, ser mais maduro dentro e fora de campo. Aí voltei, voltei bem, estou ajudando da melhor forma possível.

ONDE ACHA QUE EVOLUIU?

Taticamente. Tecnicamente o jogador quando chega no profissional a gente sabe e tem isso dentro da gente. Mas taticamente, na Ponte e na Chape, consegui ser um cara com disciplina dentro de fora de campo. Foi fundamental para mim, melhorar taticamente, e quando eu cheguei aqui no São Paulo, com todos os treinadores que passaram desde então, sempre venho em evolução. Aprendendo ainda mais taticamente, jogadores experientes, tem que melhorar sempre , estar em evolução sempre.

 JOGO MAIS ESPECIAL FOI NO MAJESTOSO DE 2018 ONDE MARCOU DOIS GOLS?

Ainda tem a estreia também, contra o Corinthians, um jogo especial para mim, ter estreado com a camisa do São Paulo, primeiro jogo, clássico. Mas foi mais especial ainda esse. Consegui fazer dois gols, ajudar o São Paulo a sair com a vitória, consegui fazer dois gols, foi muito importante para mim, para a minha carreira, para a minha sequência aqui com o São Paulo, Morumbi estava muito lotado aquele dia. Foi muito especial.

O QUE FALTOU PARA OS GRUPOS DE 2018 E 2019 SEREM CAMPEÕES PELO TRICOLOR?

Ah, não vou dizer que faltou, a gente lutou muito, chegou na liderança em 2018, infelizmente não conseguimos nos manter lá. Brigamos até onde deu para lutar por essa liderança, demos uma caída na hora errada do campeonato. A gente estava muito focado em ser campeão com o São Paulo, como em todos anos, ali estava muito próximo, infelizmente não conseguimos.

Em 2019 também brigamos bastante, mas nossa equipe oscilou muito. Tenho certeza que, agora em 2020, nossa equipe vai brigar, nosso elenco foi mantido, e a tendência é essa, evoluir sempre.

SOBRE DINIZ E O SEU DE TRABALHAR COM O TREINADOR

Diniz é um cara sensacional, dentro de campo ele cobra, pede para fazer do jeito dele, sempre gritando para nos orientar. Mas no dia a dia ele passa muito carinho, um cara sensacional, quer sempre bem do jogador. Conversa e escuta não só os experientes, mas também os mais jovens. É um cara que tem sido sensacional para mim e que eu vou levar independente de qualquer coisa para a vida.

É um cara que dá a vida para o trabalho, tem suas ideias de jogo, muito boas, de se portar dentro de campo. E tenho certeza que ele merece ser muito vencedor, eu e meus colegas vamos lutar muito para esse trabalho dar certo. Está dando já, estamos em evolução, até porque todos os jogos em que a gente jogou esse ano fomos dominantes. Tivemos a bola, temos umas cinco, seis chances de gol por jogo. O que está faltando é a gente concluir em gol. Diniz é um cara sensacional e que não só eu como todos os atletas vamos levar para a vida.

SOBRE DANIEL ALVES E A RELAÇÃO DELE COM O ELENCO

Ah, o Daniel é um cara sensacional também. Ele, Juanfran, Hernanes, três caras que falam bastante com a gente. O Dani eu procuro estar sempre conversando, tanto dentro quanto fora de campo. Não só pegar experiência, mas para melhorar meu dia a dia, posicionamento, tudo. É um cara que está nos ajudando muito.

Vou lembrar sempre que esse cara nos ajudou muito e está aí não só para mostrar o seu trabalho, mas também para ajudar os seus companheiros.

Foto: Globoesporte.com
Fonte: Goal.com 

O que achou?

Escrito por Natália Milreu