in ,

Raí se posiciona sobre a decisão de suspensão do jogo do Tricolor

Diretor se posicionou sobre a decisão de adiamento do jogo deste domingo, com o Goiás, no estádio da Serrinha, em Goiânia, pela primeira rodada do Brasileirão

O diretor executivo de futebol do São Paulo, Raí, se posicionou sobre a decisão de adiamento do jogo deste domingo, com o Goiás, no estádio da Serrinha, em Goiânia, pela primeira rodada do Brasileirão.

“Óbvio que teve uma preocupação. Desde o início conversamos entre nós. Uma situação desconfortável, não sabíamos da extensão do problema. Sabíamos que teria uma contraprova, poderiam ter erros nos resultados, então eram muitas dúvidas, ninguém tinha certeza. Sabíamos que seriam refeitos os exames. Como foram dez casos preocupou a todos, mas ao mesmo tempo perguntamos se existia uma confirmação ou não. Por isso mantivemos o contato com os dirigentes do Goiás o tempo todo e procuramos várias vezes a CBF, que me ligou agora há pouco, o responsável pelas competições, Manuel Flores, que explicou que não conseguiu retornar antes pois estava resolvendo tudo”, disse. 

O dirigente do Tricolor disse ainda concordar com a decisão da CBF de adiar o jogo. Até o momento não há uma data programada para a realização do jogo.

“Desde manhã estávamos sabendo do problema, em contato com os dirigentes do Goiás. Tentamos contato com a CBF para esclarecer a situação, acompanhar a situação. Não tínhamos muitas informações e não tivemos resposta da CBF. Viemos para cá seguindo o protocolo. Aqui ficamos sabendo que existia uma medida cautelar, era uma coisa que já imaginávamos que aconteceria. Mas os delegados falaram para, mesmo assim, a equipe subir ao campo seguindo o protocolo. Aí recebemos o documento oficial, que foi recebido logo depois da entrada da equipe”, afirmou.

LEIA MAIS:
+ Daniel Alves sobre jogo suspenso: “Inadmissível o que vivemos”
+ Presidente do Goiás critica diretoria do São Paulo
+ Jornalistas criticam postura da CBF em relação ao jogo Goiás x São Paulo

Foto: Reprodução TV Globo
Fonte: Globoesporte.com

O que achou?

Escrito por Natália Milreu