in ,

Raí diz que está focado “no agora” e não se preocupa com a a permanência no Tricolor

As eleições no fim do ano para presidente do São Paulo colocam a vaga de Raí, como gerente de futebol em cheque

Raí vive uma indefinição sobre sua continuidade como diretor do clube na próxima temporada. Porém, o dirigente afirmou em entrevista ao Globoesporte.com que não está preocupado com a questão da permanência no Tricolor após as eleições. 

“Eu tenho contrato até o final do ano, tenho uma gestão até o final do ano. Em um ano completamente atípico, cheio de desafios, não dá nem tempo de pensar nisso. Você tem que se preparar para formar um trabalho, uma equipe que dê conta do recado não só a curto prazo. E isso eu acho que o São Paulo tem, uma filosofia de trabalho, de jogo, e um elenco para dois ou três anos. Os desafios foram tão grandes, e ainda serão tão grandes, que ainda não deu tempo de pensar nisso”, disse. 

E completou: “O trabalho feito até o momento vai render frutos e vai continuar, mas quando você muda uma gestão, passa por uma eleição, sem dúvida a tendência é que ocorram algumas mudanças. Mas, confesso que não é uma coisa que me preocupa. O que me preocupa mais é me concentrar no agora, manter o foco no agora, para poder colher os frutos”, completou.

Raí também falou que não tem medo de ter sua imagem de ídolo do Tricolor arranhada pela passagem como dirigente, iniciada no final de 2017. Segundo ele, o risco existe, mas sua trajetória dentro dos gramados sempre ficará marcada na história do clube.

“A partir do momento que você topa um desafio desses, não pode ter medo de desgaste. Vai acontecer em alguns momentos. Eu sei que pode arranhar aqui ou ali em algum momento, mas o que vale é o resultado global, como foi a experiência. Minha experiência como atleta sempre vai estar na história do São Paulo. Faz parte do desafio que eu topei e estou contente com o caminho que estamos tendo. Espero ser campeão também como dirigente”, finalizou. 

Foto: Reprodução TV
Fonte: Globoesporte.com

O que achou?

Escrito por Natália Milreu