in ,

Paralisação do futebol dificulta São Paulo a fechar patrocínios

Clube enfrenta problemas financeiros neste momento de pandemia do coronavírus; negociações com os patrocínios e recebimento de pagamentos estão pendentes

A paralisação do futebol por conta da pandemia do coronavírus está afetando bastante as finanças do São Paulo. Além de não ter receita com venda de ingressos, outro ponto que está pendente são as negociações com os patrocinadores. 

O clube tem contrato com o Banco Inter, patrocinador máster, até o fim de abril. As conversas para renovação chegaram a ficar avançadas no fim do ano passado, mas agora estão paradas.

O São Paulo também tinha acertado acordo com a DAZN para que Daniel Alves fosse uma espécie de embaixador da empresa no país. Dessa maneira, o clube receberia 1 milhão de dólares (R$ 5,26 milhões) que serviriam para pagar parte dos direitos de imagem do camisa 10. 

A diretoria tricolor considerava a transação praticamente fechada, sendo que o documento era analisado no exterior. Assim como no caso do Banco Inter, as conversas não seguiram o ritmo acelerado. 

Não é só as questões de patrocínios que estão paradas no momento. O São Paulo teria que receber o pagamento da venda da opção de compra do atacante Gustavo Maia, que disputou a última Copinha, para o Barcelona por R$ 5 milhões, porém aspendências burocráticas ficaram mais lentas e o clube espanhol não fez o pagamento na data inicialmente acordada. 

Foto: Divulgação
Fonte: UOL Esporte

O que achou?

Escrito por Natália Milreu