Osorio “Nesse clube todos querem opinar”

Juan Carlos Osorio sente-se incomodado com palpites que vêm de todos os lados

Nesta sexta-feira, o treinador tricolor concedeu entrevista coletiva e criticou que há muitas pessoas dando opiniões dentro do clube e citou um exemplo.

“Estava com Milton [Cruz, coordenador], mostrei a ele uma mensagem de uma pessoa do clube que oferece muitos jogadores. Agora, em minha humilde opinião, o time precisa de um volante. Estamos trabalhando com Thiago Mendes e Breno para essa posição. Centroavante, um Luis Fabiano mais jovem, por exemplo. De futebol e jogadores falam muitos. Minha resposabilidade e posição é a parte desportiva. Neste clube há muito gente dando opiniões. Demasiados. Quando alguém fala para mim que tem um centroavante muito bom, eu pergunto: “o que ele faz bem?”. Me respondem: “ele é rápido”. Não precisamos”, disse.

“Eu não vou trocar o São Paulo por nenhum clube. Nenhum. Estava com Milton, me ligaram dos Emirados Árabes. Você perde três jogos e o telefone toca 20 vezes, todas oportunidades de trabalho. Para todos eu disse o mesmo. Eu tenho como profissional um objetivo de ir a uma Copa do Mundo. Como ser humano também um sonho. A diferença entre sonho e objetivo profissional é que no meio há um processo, e estou seguindo esse processo. Acho que estou melhorando como pessoa, como técnico e como treinador”, falou.

Questionado se aceitaria o convite do São Paulo hoje, em um cenário hipótetico, o colombiano, no entanto, não soube responder: “Prefiro falar sobre coisas concretas. Isso é uma suposição. Não saberia. Essa é a situação real, atual, e tenho a obrigação de colocar o time competitivo, que jogue para ganhar”.

O principal motivo do incômodo de Osorio que quase resultou no pedido de demissão é o desmanche do São Paulo. Desde que o técnico colombiano foi contratado, oito jogadores deixaram o clube. Osorio falou sobre os problemas do elenco e citou o exemplo do jovem atacante João Paulo.

“João, estou tentanto encaixá-lo em outra posição. Centroavante rápido, mas sem jogo aéreo… difícil”, disse. “Com todo respeito a esse elenco, há jogadores que não estão no mesmo nível”, acrescentou. “Tenho que ser muito objetivo e é a realidade. Perdemos Paulo Miranda, Rafael, defensivamente perdemos zagueiros muito bons. Agora jogar com três é mais difícil. Eu falei antes que os próximos dois jogos muito importantes para nós. Neste momento o Santos é o melhor time de futebol ofensivo no Brasil. Ofensivo. Para mim esse jogo vai ser muito especial. É um time que joga como nós tentamos jogar, vai ser um jogo especial. Pouco rodízio porque não temos jogadores suficientes para fazê-lo”, disse.

Osorio se mostrou incomodado com comentários sobre suas inovações táticas e de posicionamento dos jogadores: “É muito fácil falar. Se alguém observa nossos treinamentos, sabe que aqui não inventamos nada. Quando Breno jogou de volante, trabalhou por dez sessões de treino antes daquela forma. É difícil entender o jogo e muito fácil falar depois do resultado”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *