O São Paulo FC representado no carnaval 2020

Os desfiles das Escolas de Samba de São Paulo começaram nesta sexta (1), mas as que representam o Tricolor, desfilam hoje e amanhã. Dragões e Independente 

A Dragões da Real, escola de samba que representa o São Paulo Futebol Clube no grupo especial, inicia seu desfile no Sambódromo do Anhembi às 1h25 deste sábado (a Dragões será a terceira escola a entrar na avenida, nos desfiles que iniciam-se na sexta-feira). Já a Independente Tricolor, rebaixada em 2019, irá desfilar no domingo (23), pelo grupo de acesso e seu desfile irá iniciar às 21h.

DRAGÕES DA REAL
Data e horário do desfile:
22 de fevereiro, às 01h25

HISTÓRIA: Criada em 2001, a Dragões da Real foi subindo de categoria ano a no e até chegar no grupo de acesso em 2006, onde ficou até 2011 quando foi campeã. No grupo especial, a Escola chegou com muita força e após 7 anos, foi vice-campeã, em 2017.

A caminhada da Torcida no carnaval no grupo de elite das Escolas de Samba vem sendo muito bom. Desde 2011,a Dragões já ficou entre as cinco melhores, curiosamente por cinco vezes.

VALE LEMBRAR QUE logo em seu primeiro ano, a Escola ficou a 0,7 décimos do campeão.

Em 2017, a Dragões quase ficou com o título. Com o samba-enredo Dragões canta Asa Branca, a escola fez 269,7 pontos, junto como a Acadêmicos do Tatuapé, que ficou com o troféu devido aos critérios de desempate. 

O carnavalesco dessa vez, Mauro Quintaes, veio do Rio de Janeiro, onde já venceu nos grupos de acesso e comandou grandes escolas, como Mangueira e Unidos da Tijuca.

A Dragões da Real foi vice-campeã em 2019 e vem forte este ano para buscar seu primeiro título na principal categoria do carnaval paulista.

Enredo de 2020: “A REVOLUÇÃO DO RISO: A ARTE DE SUBVERTER O MUNDO PELO DIVINO PODER DA ALEGRIA”

 


Independente Tricolor  Grupo: Acesso 1 (2ª divisão)
Data e horário do desfile: domingo (23), às 21h00

HISTÓRIA: Organizada para participar do Carnaval no início dos anos 2000, a Independente começou como bloco, denominado “Bloco Independente”, com estatuto separado da torcida.

Em 2003, se envolveu em uma enorme confusão com integrantes da Pavilhão 9 e da Mancha Verde e foi excluído do carnaval pela UESP.

Seis anos depois, incorporou a Malungos, e adotou a denominação “Grêmio Recreativo Cultural e Escola de Samba Malungos Independente“, participou do Carnaval 2010, desfilando pelo grupo 4 do carnaval paulistano (equivalente à sexta divisão), e conquistou o acesso para o grupo 3.

Em 2012 a escola passou a se chamar apenas “Grêmio Recreativo e Cultural Escola de Samba Independente Tricolor” e ficou com a segunda colocação no grupo 3 da UESP, assim subindo para o grupo 2.

No ano seguinte, a escola conquistou o título do grupo 2 da UESP, e sebiu novamente de divisão. Em 2014 fez a sua estreia no grupo 1 da UESP, e se sagrou novamente campeã com o enredo “Canção paulistana”. Com o novo título, obteve o direito de desfilar pelo grupo de acesso da Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo.

Em 2017, a Independente desfilou com o tema “É mentira” e conquistou o vice-campeonato do Grupo de Acesso, assim garantiu a sua estreia no grupo de elite do carnaval de São Paulo em 2018.

Com uma penalização em 1,2 décimos em 2018, a Escola foi rebaixada ao Acesso. Em 2019, a Torcida Independente não conseguiu seu acesso à elite por apenas 0,6 décimos.

VALE LEMBRAR QUE ano passado, o Barracão da torcida sofreu um incêndio.

Enredo 2020: UTOPIA – É PRECISO ACREDITAR