in , ,

Muricy Ramalho revela derrota mais dolorida com o São Paulo

Eduardo Tironi e Arnaldo Ribeiro fizeram uma live com Muricy Ramalho, revelou duas histórias pouco conhecidas

Na Live, um torcedor perguntou qual derrota foi mais dolorida para Muricy. Existiam duas opções: o polêmico Campeonato Brasileiro 2005, com o Internacional perdendo a taça para o Corinthians em um confronto direto com lances controversos e com a Máfia do Apito; ou a Copa Libertadores da América 2006, quando o Colorado venceu o São Paulo de Muricy na final. A resposta: nem um, nem outro. “O que mais me deixou triste e irritado não foram esses jogos. Foi o jogo do Maracanã, contra o Fluminense”.

A partida em questão foi válida pelas quartas-de-final da Copa Libertadores 2008. “Aquele nosso time era fortíssimo, aí você é desclassificado aos 48 do segundo tempo. O torcedor queria muito. Me irritou demais porque eu fui rejeitado pela diretoria quando cheguei no hotel. Me deixaram de lado, me acusaram. Recebi muitas acusações”, lembrou Muricy Ramalho.

Muricy ainda falou sobre uma proposta do Athletico-PR em 1996.

A relação entre São Paulo e Athletico-PR após a final da Libertadores 2005 não é a da mais amigável, mas, na década de 1990, o SPFC, aparentemente, era exemplo para o clube paranaense. Muricy Ramalho revelou que Mario Celso Petraglia, influente no CAP há cerca de 25 anos, tentou levar o então técnico e, também, a filosofia do Tricolor para lá.

“Eu era técnico interino do São Paulo antes da chegada do Parreira. O Petraglia, do Athletico-PR, já tinha a ideia de fazer um centro de treinamento. Ele veio para São Paulo porque queria levar a nossa escola para lá. Me ofereceu um baita contrato e eu neguei. Só fiz isso por causa do técnico que estava chegando”, declarou.

Fonte: Canal do Tironi
Foto: Divulgação

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara