Mais um capítulo na ‘briga’ de vizinhos entre São Paulo e Palmeiras

O São Paulo fechou na noite desta quarta-feira a contratação do atacante Jonathan Cafu e deixou os mandatários palestrinos furiosos com a notícia

O jogador, ex-ponte, assinou contrato por três anos, com o Tricolor e pôs fim em mais uma novela envolvendo os times vizinhos. O acordo foi pelo vice-presidente de futebol do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro, e pelo empresário do atleta, Luis Augusto Carvalho.

Até o fim desta tarde, o Palmeiras tinha acordo com o atleta e iria anunciá-lo amanhã pela manhã. Porém, no início da noite, o departamento jurídico do clube avisou ao estafe do atleta que não aceitaria a cláusula de venda para a Europa, imposta pelo Doyen. Assim, o jogador procurou o São Paulo às pressas e marcou uma reunião, na qual selou o acordo. Cafu foi ao encontro de Ataíde Gil Guerreiro e do gerente de futebol Gustavo Vieira de Oliveira acompanhado de seu agente, Luis Augusto Carvalho.

O São Paulo aceitou a cláusula de venda para a Europa, que consiste em uma multa rescisória reduzida, com isso, o clube do Morumbi terá de igualar a oferta para permanecer com o atleta.

Jonathan Cafu era jogador da Ponte Preta, mas tem parte dos direitos econômicos vinculados ao Doyen Group. Os valores não foram divulgados após a assinatura do contrato. Antes do acerto, no entanto, o estafe do jogador revelou que o valor da negociação é de R$ 1,25 milhão e pode ser bancado pelo Doyen Group.

Jonathan Cafu representa mais um capítulo da disputa entre São Paulo e Palmeiras. Antes, Thiago Mendes e Dudu já tinham sido alvos dos dois, sem contar negociações do ano passado, como Alan Kardec, Wesley e Fernando Tobio.  A sondagem são-paulina ao atacante da Ponte Preta começou com uma ligação de Milton Cruz, auxiliar técnico de Muricy Ramalho, e, em seguida, com uma proposta feita por Gustavo Vieira de Oliveira, gerente de futebol.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *