Mais de mil gols…eles dizem que sim

Não foi só Pelé. Romário, Túlio e mais dois jogadores dizem ter mil gols no futebol

Marcar mais de 1000 gols em uma carreira é para poucos, pouquíssimos: segundo a IFFHS, Federação Internacional de História e Estatística do Futebol, só Pelé e Puskas, dois dos maiores jogadores de futebol, chegaram na marca. VALE LEMBRAR QUE Pelé tem 763 gols.

Enquanto uns se perguntam se Lionel Messi e Cristiano Ronaldo conseguirão alcançar o Rei, outros apontam que isto é impossível.

Confira os jogadores que falam ter mais de mil gols marcados na carreira!

Romário

Caso mais famoso de jogador que diz ter balançado as redes mais de mil vezes, Romário teve até uma grande comemoração depois de seu milésimo gol, marcado de pênalti com a camisa do Vasco diante do Sport.

Levando em conta só jogos oficiais, o “Peixe” teria marcado “apenas” 747 gols. No entanto, segundo o próprio artilheiro, ele balançou as redes 1002 vezes.

Mesmo com os dados oficiais e a IFFHS afirmando que Romário não tenha chegado a marca, para o herói do tetra, não existem dúvidas. O baixinho sempre deixou claro que acredita ter passado dos 1000 tentos. 

Túlio Maravilha 

Craque e ídolo do Botafogo, Túlio Maravilha mostrou, acima de tudo, que a velha máxima do “brasileiro não desiste nunca” é a mais pura realidade. Buscando o milésimo gol, ele permaneceu no futebol profissional até 2014, quando já tinha 45 anos.

Segundo a contagem do jogador, ele marcou o tento de número 1000 pelo Araxá, naquele ano, e logo depois se aposentou pela primeira vez, afirmando estar realizado após chegar à marca. Saiu da aposentadoria tanto em 2018 quanto em 2019, marcando mais um gol e encerrando a sua carreira – por agora – com 1001 gols.

Na contagem oficial, no entanto, Túlio tem “apenas” 578 gols, divididos por seus 34 clubes e pela seleção brasileira. 

Franz Binder venceu o campeonato alemão por um time austríaco…

Ídolo do Rapid Wien por suas conquistas enquanto estava no clube da Áustria, Franz “Bimbo” Binder é mais um dos atletas que afirma ter marcado mais de 1000 gols.

Tendo ficado todos os 19 anos de sua carreira, que iniciou em 1930 e acabou em 1949, no clube austríaco, os cálculos do atleta são de que tenha marcado 1006 tentos, tanto no Rapid quanto nas seleções da Áustria e da Alemanha. A contagem oficial, no entanto, afirma que o atleta balançou as redes 546 vezes.

Seu maior feito, no entanto, ninguém pode tirar: em meio ao regime nazista de Adolf Hitler, que anexou a Áustria, conseguiu levar o Rapid Wien a bater o poderoso Schalke 04 por 4 a 3 na final do Campeonato Alemão de 1941, tendo marcado um hat-trick no jogo decisivo.

Ernst Wilimowski marcou quatro gols contra o Brasil na Copa do Mundo de 1938

Outro jogador com passagens tanto por duas seleções (devido ao seu país natal ter sido anexado pela Alemanha nazista), foi com a camisa da Polônia que Ernst Wilimowski fez sua partida mais marcante: marcou quatro gols nas oitavas de final da Copa do Mundo de 1938, mas viu sua seleção perder por 6 a 5, e ser eliminada pelo Brasil.

Segundo a contagem do atleta, marcou mais de 1.175 gols na carreira, que teve seu início em 1934 e acabou 21 anos depois, em 1955. Segundo dados oficiais, no entanto, Ernst marcou 554 tentos.

Considerado um “traidor da pátria” na Polônia comunista, foi proibido de voltar ao país após o fim da Segunda Guerra Mundial: Wilimowski chegou até a ser um soldado da Wehrmacht, forças armadas da Alemanha nazista, mas foi permitido a continuar jogando futebol.

Gerd Müller foi o maior artilheiro da história das Copas por mais de 30 anos

“Der Bomber”, como era conhecido Gerd Müller, foi talvez o maior goleador da história do futebol alemão. Durante seus 15 anos pelo Bayern de Munique, foi tricampeão da Copa Europeia, antecessora da Liga dos Campeões, e campeão mundial, além de ter conquistado muitos títulos da Bundesliga.

Foi na seleção da Alemanha Ocidental, no entanto, que o jogador brilhou ainda mais: tendo jogado apenas duas Copas do Mundo, em 1970 e 1974, se tornou o maior artilheiro da história da competição por mais de 30 anos. Só Ronaldo, em 2006, foi quebrar a marca do alemão. Segundo sua própria contagem, marcou 1461 gols na carreira.

A contagem oficial, no entanto, é mais modesta: afirma que o Gerd marcou “apenas” 735 gols. Campeão mundial pelo Bayern e pela Alemanha, seja qual for seu número de gols, o atacante já marcou seu nome entre os grandes artilheiros do esporte.

Arthur Friedenreich, o primeiro grande artilheiro brasileiro

Antes de Leônidas, Pelé, Ronaldo e Romário, Friedenreich fazia chover em gramados brasileiros: o craque, que estreou em 1909 pelo Germânia e se aposentou em 1935 após atuar pelo Flamengo, foi ídolo por onde passou e, na contagem de jornalista da época, tem mais de 1329 gols.

O jogador, que chegou a ser proibido de atuar pela seleção brasileira por ser “mulato”, esteve presente nos primeiros títulos oficiais e não-oficiais da amarelinha: a Copa Roca de 1914 e Copa América de 1919, torneio em que marcou o gol do título.

De acordo com estatísticas mais conservadoras, chegou a marcar 557 gols na carreira, sendo a maioria pelo Paulistano, onde passou 12 anos – e ficaria mais cinco depois do clube se fundir com a Associação Athlética das Palmeiras para criar o São Paulo Futebol Clube.

Josef Bican e os seus 5000 gols

Os números de Bican são absurdos mesmo se não acreditarmos na contagem do jogador: segundo a IFFHS, marcou uma média de 1,52 gols apenas em ligas nacionais, com 518 tentos em 341 partidas. Acima de tudo, histórias sobre o áustrio-checo se confundem com lendas fantasiosas sobre o atleta que teria marcado mais de 5000 gols na carreira.

Tendo iniciado sua carreira em 1928, pelo Schustek, da Áustria, quando tinha apenas 15 anos, e a encerrado em 1955, pelo Slavia Praha, da então Tchecoslováquia, com 42 anos, se tornou um dos grandes artilheiros do futebol mundial. Até hoje, checos afirmam categoricamente que o jogador balançou as redes mais de 5000 vezes.

Oficialmente, foi menos prolífico: teria marcado 805 gols em sua carreira.

Lionel Messi…???

Em 30 de abril de 2018, o jornal Mundo Deportivo colocou uma manchete no mínimo polêmica em suas redes sociais: segundo contagem própria da publicação, Lionel Messi, que tinha marcado um hat-trick contra o Deportivo La Coruña nesta data, teria alcançado o milésimo gol, se seus tentos na base do Barça fossem contados.

Oficialmente, são 697 gols: a segunda maior marca entre jogadores ativos, atrás apenas de seu eterno rival Cristiano Ronaldo. Mesmo assim, tem quem diga que se tentos em amistosos contaram para Pelé, Puskas e cia, Messi tem direito de afirmar que já marcou mais de 1000 gols.

Fonte: O Goal
Foto: Divulgação