Luis Fabiano pretende se despedir no São Paulo

Dois clubes paulistas estão como prioridade para Luis Fabiano encerrar sua carreira dentro de campo

Luis Fabiano ainda não desistiu de encerrar a carreira em campo. Sem atuar desde o fim de 2017 devido a problemas no joelho e aos 39 anos, ele acredita que tem condições de disputar “10, 15 jogos” e citou o São Paulo ou a Ponte Preta como os clubes que deseja entrar em campo pela última vez.

“Depois de mais de dois anos, estou 98% recuperado. Tinha a expectativa de poder voltar, mas esse Covid me complicou. Existem dois que marcaram muito a minha carreira: a Ponte Preta, onde tudo começou e tenho um carinho muito grande. Depois o São Paulo, que me fez chegar no nível internacional, seleção brasileiro. O carinho e a identificação que tenho são enormes. Se tivesse que escolher, seria um desses dois. Sei que não é fácil. Existem outras cosias em jogo. Não é simplesmente ir lá e falar que quero jogar. O São Paulo sabemos da pressão que é, tudo que representa, não sei se seria possível. A Ponte eu já estive lá, mas não deu certo por alguns motivos. Seriam esses dois times que eu gostaria, sim, de poder vestir a camisa pela última vez “, disse Luis Fabiano ao programa “Bola da Vez” da ESPN Brasil, exibido neste sábado à noite.

Quando voltou a falar no assunto, Luis Fabiano afirmou que a Ponte “está mais distante” e que chega a sonhar com um gol no Morumbi.

“O fim está próximo, bem próximo, até pela situação atual no mundo. Hoje a Ponte está mais distante. Seria um sonho vestir a camisa do São Paulo pela última vez no Morumbi. Eu até sonho fazendo um gol no Morumbi. Mas se isso não acontecer, estou satisfeito com a minha carreira. Se o fim não chegou, está chegando, e estou preparado para novos desafios”, disso “Fabuloso.

Luis Fabiano também relembrou quando recusou uma proposta “tentadora” do Corinthians, em 2011. Na época, ele estava no Sevilla e pouco depois acertou o retorno para o São Paulo.

“Eu tive um convite do Corinthians, uma proposta tentadora, que foi um valor maior que o do São Paulo, mas no final acabei escolhendo o São Paulo. O Juvenal (Juvêncio, presidente tricolor na época) me ligou na ocasião: “Não vai para o Corinthians, estou indo te buscar”. E cumpriu: ele mandou um diretor, que ficou um mês lá. Foi um mês de negociação com o Sevilla, uma negociação dura, tive de abrir mão de muita coisa. Fiquei duas semanas seguidas ligando diariamente para o presidente, falando que queria voltar para o São Paulo até ele liberar”, contou o ídolo.

O atacante ainda revelou que até pediu para a diretoria do Sevilla não aceitar a oferta corintiana:

“A proposta do Corinthians durou duas semanas. Porque o Corinthians ficou insistindo. Eu não sei se eu jogaria ou não num time rival. É difícil falar que nunca (jogaria), mas que eu não tinha disposição de ir (para o Corinthians), não tinha. Se tivesse disposição, eu iria. Até falava para a diretoria do Sevilla não aceitar a proposta. Quando o São Paulo ficou sabendo, aí entre Corinthians e São Paulo, nem preciso falar. Com todo respeito ao Corinthians, uma grande entidade, mas a ligação com o São Paulo era muito grande”, finalizou.

Fonte: GloboEsporte.com
Foto: Divulgação