Lugano: “Aqui na Rússia, tento reforços, mas não posso falar nomes”

Diretor de Relações Internacionais do São Paulo, Diego Lugano, foi convidado da Conmebol e da Fifa para acompanhar os jogos do Uruguai, na Rússia

Dio5 está na Rússia para acompanhar a Copa do Mundo. O ex-zagueiro foi convidado pela Conmebol e Fifa para conhecer Moscou e seguir as partidas da Seleção do Uruguai, onde disputou duas edições do Mundial, em 2010 e 2014. 

O diretor de Relações Internacionais do São Paulo também teve uma missão de Raí e Ricardo Rocha para observar os jogadores para reforçar clube. O problema é que ele esbarra com uma barreira: a realidade financeira do Brasil. 

“Aqui na Rússia, tento reforços, mas não posso falar nomes. Queremos, sim, um lateral, um volante por fora e um segundo atacante a mais. A situação está complicada. Tudo caro para o nosso dinheiro. De verdade, está complicado porque é outra realidade. Não adianta enganar a torcida”. disse. 

Lugano garantiu que o fato de estar observando jogadores na Copa da Rússia mostra o valor do trabalho que está fazendo pelo clube.

“Ouvem minha opinião, no caso de trabalho, sobre jogadores, porque respeitam a minha opinião. Não por minha função, mas porque respeitam meus pontos de vista. É diferente. Eu me sinto valorizado”,  afirmou.

Confira o que mais Dio5 disse em entrevista para o Globoesporte.com, Dio5 falou sobre outros assuntos. Veja: 

CUEVA PERMANECE NO SÃO PAULO? 

“Eu vi Cueva muito bem. Inclusive, com um nível físico maior do que tinha demonstrado (jogando) no São Paulo. Acho que ele jogou mais intensamente na Copa do Mundo. Infelizmente, ele errou aquele pênalti, mas errou porque teve coragem de bater. Ontem, contra a França, ele jogou muito bem. Infelizmente, acabou a Copa para o Peru, mas ele jogou bom futebol. Tomara que ele volte para o São Paulo com esta dinâmica do Mundial, que fez dele um jogador muito interessante”. 

O PROJETO DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS

“Imediatamente, quando me aposentei no São Paulo, o presidente Leco pediu para eu ficar. Na área de futebol. Eu falei para ele que não tinha mais paciência para continuar com a rotina, dia a dia, acompanhando treinamento. Para isso, ficaria jogando. Jogaria mais dois anos. Eu sentia a necessidade de ter um pouco mais de liberade, de começar a viver coisas que eu não tinha vivido nesse tempo como profissional. Disse que estava disposto a ficar no São Paulo. Pela experiência, pelo conhecimento do vestiário, mas não na rotina do CT. Bom, a gente achou um projeto interessante, um pouco europeu, para o futebol brasileiro”. 

PARTICIPAÇÃO NAS DECISÕES ESPORTIVAS E AJUDA A RAÍ E RICARDO ROCHA

“Eu tenho participação nas decisões esportivas. Estou em contato com o Raí, com o Diego Aguirre, com o Ricardo Rocha, mas a minha cabeça está um pouco mais focada na parte institucional do São Paulo. Na parte social. Em trazer de novo os estímulos para o clube. Enfim, algo que permita ter uma agenda um pouco mais livre. Por exemplo, estar hoje convivendo na Copa do Mundo, com meus filhos. Mas também fazendo contatos, trabalhando para o São Paulo, tendo uma vida menos rotineira, pelo menos, nos primeiros anos de minha aposentadoria. Do contrário, continuaria jogando. E estando no vestiário todos os dias, né?”. 

PROJETO QUE DIO5 DESENVOLVE PARA EX-CAMPEÕES NO MORUMBI

“Um assento para irem de graça ao Morumbi com sua família até morrer. Há várias situações que estamos tentando fazer no São Paulo, o que é um progresso, para aproximar o São Paulo de sua gente e de seus campeões”. 

GONZALO CARNEIRO

“Gonzalo está treinando e se dedicando. Ontem, fez dois períodos intensos, muito fortes, e nada sentiu. Imaginamos que ele possa jogar na volta da Copa do Mundo, mas é preciso cuidado, porque é o tipo de lesão traiçoeira, que pode voltar, se não for bem tratada. Tomara que aguente. É muito bom jogador”. 

Foto:  Felipe Zito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *