in ,

Léo detalha adaptação à zaga do São Paulo

Leo. (Foto: Divulgação)

Em entrevista ao jornalista Eduardo Rodrigues, do ge, jogador explica linha de três zagueiros e comenta posicionamentos no futebol

Léo chegou ao São Paulo em 2019 para aumentar a disputa com Reinaldo na lateral esquerda e em 2021, o jogador virou zagueiro, sendo hoje, titular absoluto no time de Hernán Crespo.

A mudança de posição começou em 2020, com Fernando Diniz, mas foi nesta temporada que Léo deu um salto de rendimento e se consolidou na posição. Único zagueiro canhoto do elenco, ele se tornou um homem de confiança do treinador argentino.

Agradecer todas as pessoas que confiaram no meu trabalho, a comissão que deu continuidade nessa posição de zagueiro pela esquerda. Estou muito feliz mesmo pelo momento no São Paulo. Tenho um relacionamento muito bom com os funcionários, com cada pessoa aqui de dentro do clube. Um momento muito especial da minha carreira”, afirmou Léo.

“Trabalhei muito quando cheguei em 2019, em 2020 parte de agosto fui começando a jogar de zagueiro. Foi um momento de adaptação, começando a mudar. Porque eu nunca tinha jogado naquela posição. Hoje eu não me vejo como só lateral, mas também como o Léo zagueiro. Coloco essa posição para a minha carreira“, acrescentou.

Para quem ainda vive uma fase de aprendizados como zagueiro, como Léo, a experiência de jogar com um dos grandes zagueiros do futebol brasileiro tem sido especial.

“Antes da chegada do Miranda já tinha o Bruno Alves, o Arboleda e até os jovens Diego [Costa] e Rodrigo [Freitas] que me ajudaram muito no ano passado. Eles foram uns caras que me ajudaram, observavam, e chegou o Miranda esse ano e tem acrescentado muito. Já conversou comigo, deu alguns toques: “Léo, errou? Cabeça erguida, ainda tem tempo, pensa no jogo”. Então a confiança que ele passa para mim e para outros jogadores é impressionante. Ele já me deu uns toques de posicionamento na hora de sair e de fechar – comentou.

“Jogar com um cara como o Miranda do seu lado é só você ouvir um pouquinho, porque ele vai te passar as dicas e você tem que ter a humildade de sempre ouvir e melhorar. Quando ele fala estou disposto a ouvir, a aprender, porque é um cara que viveu muito no futebol – disse Léo.

Juntos, eles foram campeões do Paulistão, e uma música inspirada na trajetória de vida de Léo embalou a campanha do título. A canção “Já chorei demais”, de Jhonny Maick, tornou-se uma marca registrada do zagueiro.

Ao ge, Léo revelou que a música foi inspirada em sua trajetória de vida e sempre que está chegando ao Morumbi coloca a música para ouvir e “lembrar de onde saí e de onde quero chegar.

Foto: Divulgação
Por: Eduardo Rodrige / ge

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara