in ,

Jogar altitude, Rojas, Libertadores, Diniz fala sobre competição internacional

Treinador falou sobre o primeiro desafio da equipe na Libertadores, na quinta-feira, na altitude, contra o Binacional

Tricolor vai confiante para enfrentar o Binacional, do Peru, na quinta-feira, e o técnico Fernando Diniz comentou sobre o próximo desafio da equipe. 

O técnico comentou a inscrição de Rojas na lista da Libertadores. 

“Eu acho que é um prêmio para o Rojas. A gente não conta com ele agora. Temos um elenco enxuto e pudemos arriscar. Ele tem características de velocidade, de drible, espero poder contar com ele”, falou. 

Também comentou sobre o adversário, o Binacional, e jogar na altitude do Peru. 

“Esperamos um jogo complicado pela altitude. É um bom time também, mandamos gente para assistir aos jogos, temos jogos catalogados. Não seremos pegos de surpresa, estamos trabalhando nisso há algum tempo”, disse. 

E falou: “A gente vai pensar de maneira mais enfática nesse jogo a partir de agora. Até aqui pensamos no Campeonato Paulista. Vamos fazer de tudo para poder vencer os efeitos da altitude. Vamos fazer de tudo para chegar nas melhores condições possíveis. O São Paulo está fazendo de tudo para reduzir os efeitos da altitude. Vamos sair da quarta-feira e só chegar lá o mais perto possível do jogo.”

Por conta de uma suspensão que levou quando estava treinando o Fluminense, na Copa Sul-Americina, Diniz não poderá ficar no banco de reservas no primeiro jogo do Tricolor na Libertadores. 

“Vai ser ruim não poder estar no campo, eu gosto muito de participar, me sinto vivo na beira do campo. Tomei uma advertência pelo Fluminense, e na segunda vez o time demorou dois minutos para voltar ao intervalo. E por isso fui suspenso”, comentou. 

Por fim, o treinador comentou sobre a relação do clube e da torcida com a Libertadores.

“Libertadores tenho relação de torcedor, quando criança, participei como jogador e vou estrear como técnico. Sou apaixonado pela competição, vai ser muito legal poder fazer minha estreia como técnico pelo São Paulo, um clube tão identificado com a Libertadores. E o torcedor de sente muito parte disso. Quando o São Paulo ganhou os títulos de 1992 e 1993, o torcedor invadiu isso aqui e empurrou o time rumo aos títulos”, finalizou. 

Foto: Paulo Pinto /saopaulofc.net
Fonte: Globoesporte.com

O que achou?

Escrito por Natália Milreu