in ,

Incerteza com futuro do Paulista pode deixar mais de 300 jogadores ‘órfãos’

Horário do Majestoso deste domingo segue indefinido - (Foto: Emilio Brota)

Devido ao coronavírus, a maioria dos comércios ficaram fechados pelo menos até 5 de abril; se as recomendações seguirem para o futebol, o impacto será considerável para clubes e jogadores

ESPN Brasil fez um levantamento sobre as três principais divisões do Campeonato Paulista. Os dados apontam que 32 clubes seriam impactados e 301 jogadores (21,3%) perderiam o restante dos torneios se a bola voltar a rolar somente após 1º de maio. A data marca o fim do contrato dos atletas citados. Eles fazem parte de um total de 1.411 inscritos de 44 clubes.

O levantamento não considerou os atletas com contratos com São Paulo, CorinthiansPalmeiras e Santos, clubes que tradicionalmente trabalham com vínculos mais longos com seus jogadores e que vivenciam uma realidade esportiva e financeiramente diferente.

Para fazer um comparativo coerente com a realidade dos campeonatos, o levantamento levou em conta os 26 inscritos permitidos pela Federação Paulista de Futebol e a lista B (esta sem quantidade máxima), grupo que corresponde a jovens, geralmente da base, com vínculos longos.

Parar ou não parar?

Caso o campeonato seja retomado apenas em maio, o Santo André seria a equipe mais afetada da primeira divisão. O time do ABC paulista perderia 73,9% do elenco (17 dos 23 inscritos). VALE LEMBRAR QUE é Ramalhão é o time com a melhor campanha da competição (19 pontos, com seis vitórias).

O Água Santa trabalha internamente com a ideia do encerramento antecipado do campeonato. A equipe tem 21 dos 32 inscritos com contrato até o próximo dia 30 de abril (65,6%). Sem calendário anual, ou seja, sem receitas fixas para bancar as renovações, o cenário citado acima é visto como ideal. Caso contrário a equipe pode disputar as duas rodadas finais enfraquecida.

Quem também pode ficar numa situação difícil é a Inter de Limeira. São 18 dos 26 inscritos com contrato até 30 de abril (69,2%). Mas os dirigentes não tem opinião sobre o futuro do torneio. Preferem aguardar a decisão da FPF.

O Paulistão já teve dez rodadas jogadas. Faltam duas para encerrar a fase de classificação. Elas estavam previstas para os próximos fim de semana e meio de semana. Depois viriam quartas de final, semifinal e final. O último jogo seria em 26 de abril.

Impacto maior

A divisão mais afetada com a paralisação por causa do novo coronavírus é a Série A-2.

Ao todo, os 16 clubes participantes inscreveram 512 jogadores na competição, dos quais 187 assinaram contrato até 30 de abril ou 1º de maio. Isso significa 36,5% de atletas não poderão prosseguir a competição se não tiveram aditivos ou renovações encaminhadas.

Das 16 equipes, a mais afetada será a Portuguesa Santista, que poderá perder 79,3% do elenco, isso porque 23 dos 29 inscritos têm contrato até o final do próximo mês. Os lusitanos fazem boa campanha e ocupam a terceira colocação, com 20 pontos. Hoje, estaria entre os classificados para lutar por uma das duas vagas na elite estadual.

O Sertãozinho, atualmente na 12ª colocação perderia 69,7% do elenco. A Portuguesa, última colocada entre os que se classificam às quartas de final, teria 63,3% do grupo de jogadores fora da disputa por fim de contrato.

A situação preocupa as equipes. Segundo apurou a reportagem, alguns dirigentes acreditam que, com pouco dinheiro em caixa, o mais sensato será pedir o cancelamento da Série A-2 se o torneio demorar mais de 15 dias paralisado.

Com 12 rodadas concluídas, a Série A-2 tinha mais três rodadas para completar a primeira fase. Depois, os oito melhores classificados disputariam a fase final, com jogos pelas quartas, semifinal e final. Inicialmente, a competição seria concluída em 1º de maio.

Situação sob controle

Ironicamente a divisão com clubes com menor receita e sem calendário anual, a Série A-3 ainda não preocupa. O torneio tem duração um pouco maior. A decisão estava prevista para 17 de maio.

Apenas seis jogadores dos 16 clubes participantes (em um universo de 528 inscritos) perderiam seus contratos. Ou seja, 1,1% dos atletas.

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara

Back to Top

Log In

Forgot password?

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

To use social login you have to agree with the storage and handling of your data by this website. %privacy_policy%

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.