História Em Três Cores – Pavão

Marcelo Pereira Moreira, mais conhecido como Pavão, foi revelado nas categorias de base do tricolor.

Nascido em Recife, no dia 15 de abril de 1974, Pavão teve de esperar até 1994 para ganhar espaço no clube de coração.Em 1993 chegou a ser emprestado por cinco meses ao Botafogo de Ribeirão Preto.

No São Paulo:

pavao

Durante o Campeonato Brasileiro de 1994 foi destaque do São Paulo e ganhou a Bola de Prata da revista Placar. Naquele momento sua posição era de lateral-direito. No mesmo ano, fez parte do grupo que conquistou a Copa Conmebol, disputada pelo time reserva do Tricolor apelidado carinhosamente de “Expressinho”. O lateral dá o merecido crédito, referente ao seu sucesso na época, ao ex-técnico do São Paulo, Telê Santana.

+Leia mais sobre História em Três Cores – Telê Santana

Em uma entrevista ao site UOL em 2011, Pavão disse “Ele (Telê) que me ensinou a bater na bola” e ainda completou “Ficava treinando comigo na chuva. Colocou-me para estrear no profissional com 17 anos, em 1991. Isso é para você ver a confiança que ele depositava em mim”. O próprio Telê se gabava disso “Que outro treinador teria a coragem de dar uma chance a um jogador com esse porte?”, perguntou retoricamente em 1994, se referindo a baixa estatura do atleta (1,67 metro).

download (3)

Com o sucesso do jogador, Cafu, que também era considerado lateral-direito, pôde se dedicar ao meio-campo.

No fim de 1995, menos de um ano após ter sido eleito o melhor lateral-direito do Brasileiro, Pavão foi colocado na lista de possíveis dispensas do tricolor. Ainda assim, segundo uma funcionária do CT do clube ele era, ao lado de Telê, quem mais recebia cartas de fãs, tanto de seu futebol, como de sua aparência.

837524538738

+Leia mais sobre História em Três Cores – Muller

Depois do São Paulo:

pavao2

No início de 1996 ele teria sido assediado pelo Santos, mas acabou indo para o Atlético Paranaense.

Ainda em 1996 passou pelo Rio Branco, de Americana, e em 1997 defendeu o Atlético Goianiense, antes de se transferir para o Áustria Lustenau, como a contratação mais cara da história do futebol Austríaco.

“Não queria ir para lá, pensei que só tinha neve”, contou o jogador em 2011. Ainda disse “Mas foi uma experiência muito boa. Cheguei e todo mundo me conhecia. Todo mundo com foto minha para eu autografar. Nos jogos tinha umas duas mil pessoas com bandeiras do Brasil. Cresci muito, aprendi a falar alemão.” Pavão ficou três anos na Áustria e depois foi para o Tenerife, da Espanha, onde não teve muitas chances.

Quando voltou para o Brasil em 2001, defendeu o Mogi Mirim, O Treze e o Brasiliense antes de se aposentar, em 2002. “Parei de jogar meio cedo”, desabafou em 2011. “Mas é que nunca tive um empresário fera. Só peguei filha da mãe. Me enganaram muito.”

time-master-do-sao-paulo-campeao-no-showbol-1310598896643_956x500

nego-pavao-e-muller

Miller-Pavão-e-Denis-Matos

INFORMAÇÕES PESSOAIS
NOME COMPLETO: MARCELO PEREIRA MOREIRA
APELIDO: PAVÃO
DATA DE NASCIMENTO: 15/04/1974
LOCAL DE NASCIMENTO: RECIFE
ALTURA: 1,67

INFORMAÇÕES PROFISSIONAIS
ATUALIDADE: APOSENTADO
POSIÇÃO : LATERAL-DIREITO

CLUBES DE JUVENTUDE:
SÃO PAULO

CLUBES PROFISSIONAIS:
BOTAFOGO DE RIBEIRÃO PRETO
SÃO PAULO
ATLÉTICO PARANAENSE
RIO BRANCO
ATLÉTICO GOIANIENSE
ÁUSTRIA LUSTENAU
TENERIFE
MOGI MIRIM
TREZE
BRASILIENSE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *