in ,

Funcionário do São Paulo é suspeito de informar rota de ônibus aos torcedores

Cinco suspeitos de ataque ao ônibus do São Paulo são soltos por ordem da Justiça

Antes do jogo contra o Coritiba, no Morumbi, veículo do São Paulo foi atacado por pedras e rojões “torcedores” 

O ataque ao ônibus do São Paulo, que aconteceu no sábado, no caminho para o Morumbi, antes do confronto contra o Coritiba ainda repercute nos bastidores do clube. 

Um funcionário que trabalha no clube é investigado de passar informações da rota do ônibus aos torcedores que fizeram o ataque. A Polícia Civil de São Paulo investiga o caso. 

LEIA MAIS
Quatro nomes são ventilados para substituir Diniz; Veja quais
Narrador detona Fernando Diniz ao vivo
Leão não descarta título brasileiro do São Paulo: “Tudo é possível”

O que mais chama a atenção no ataque é que o ônibus seguiu uma rota incomum para ir ao Estádio do Morumbi. A rota que usaram foi considerada o “Plano C”, justamente por medo de ataques aos caminhos mais comuns. 

No local do ataque a polícia encontrou pedras, barras de ferros, rojões e quatro bombas caseiras, que não foram utilizados e foram destruídos por uma equipe do Esquadrão de Bombas da PM.

O funcionário José Carlos dos Santos é o investigado de passar as informações da rota do ônibus, já que policiais ouviram o nome dele ser citado como o mandante do ataque quando os torcedores foram presos. 

Santos se apresentou à delegacia e negou qualquer envolvimento com o caso. 

Foto: Eduardo Rodrigues
Fonte: Bolavip

O que achou?

Escrito por Natália Milreu