Ex-diretores de futebol de Leco ficam contra grupo do presidente

Seis ex-diretores ou antigos vice-presidentes de futebol do São Paulo que participaram das gestões do presidente  Leco não estão no lado político do mandatário nesta eleição

Marco Aurélio Cunha (pré-candidato), Vinicius Pinotti, Luiz Antônio da Cunha, José Alexandre Médicis, José Jacobson Neto e Rubens Moreno foram diretores ou vice-presidentes de futebol desde o início da “era Leco”, em outubro de 2015, e não estão no lado político do mandatário nesta eleição e são contrários a Julio Casares, candidato representante de uma coalizão. 

Marco Aurélio Cunha, Roberto Natel (vice-presidente rachado com Leco) e Sylvio de Barros são pré-candidatos em uma prévia para definir o representante do grupo de oposição. Não há uma data fechada, mas essa convenção poderá acontecer em julho.

Gustavo Vieira de Oliveira, Ataíde Gil Guerreiro (expulso do Conselho Deliberativo) e Raí (atual executivo) completam os dirigentes do futebol da “era Leco”. Os três estão fora desse processo eleitoral, assim como Alexandre Pássaro (atual gerente).

Mesmo dirigentes com cargos políticos na atual diretoria estão divididos. Fernando Bracalle Ambrogi, o Chapecó, diretor associado de futebol com participação no departamento, apoia Casares.

Por outro lado, José Carlos Ferreira Alves, diretor adjunto de futebol que não frequenta o dia a dia do CT da Barra Funda, é aliado de Marco Aurélio Cunha. Ele desistiu de concorrer à presidência do Conselho Deliberativo pela oposição.

Essa mistura política divide o São Paulo dentro da própria diretoria, na qual há dirigentes, com cargos na gestão de Leco, que estão contra Casares. Tudo isso torna mais confuso o conceito de “situação” e “oposição” na disputa eleitoral.

Foto: saopaulofc.net
Fonte: Globoesporte.com