in ,

Entenda o caso da que pode levar à expulsão de MAC do São Paulo

Entenda o caso da que pode levar à expulsão de MAC do São Paulo

Marco Aurélio Cunha passa por um processo que pode levar à perda de seu mandato como conselheiro vitalício do São Paulo, cargo que ele ocupa desde 2014

MAC é acusado de agir com dolo ao São Paulo ao concordar em trabalhar pelo Avaí, desde o início do ano, como executivo de futebol. 

A representação contra MAC foi apresentada pelo sócio do São Paulo Luiz Fernando Rodrigues Pinto Júnior em 7 de janeiro deste ano, no mesmo dia em que MAC, como ficou conhecido, foi anunciado pelo Avaí. Segundo o UOL Esporte, no documento enviado a Olten Ayres de Abreu Junior, Pinto Júnior questiona se Marco Aurélio havia se licenciado do cargo clube paulista antes de fechar com a equipe catarinense.

LEIA MAIS
Confira as datas e os horários dos confrontos das oitavas de final da Copa do Brasil
São Paulo registrou fator “histórico positivo” nesta quarta

O questionamento de Pinto Júnior se baseava na letra M do artigo 10 do regimento interno do estatuto do São Paulo. “Assumir, o membro eleito de qualquer Poder do SPFC, cargo de direção em associação esportiva que dispute competição oficial de futebol profissional com o SPFC. Penalidade: perda do mandato, caso não tenha pedido licença prévia do cargo”. 

Marco Aurélio Cunha se licenciou do cargo de conselheiro vitalício apenas no dia 18 de janeiro. Em sua defesa, ele afirmou que não via conflito de interesses em trabalhar no Avaí, atualmente na Série B do Brasileiro, e seguir no posto que tem no São Paulo. 

O caso foi levado ao Conselho de Ética do São Paulo. Os membros decidiram, por 3 votos a 2, contra Marco Aurélio Cunha e levaram a ação para votação no Conselho Deliberativo. A sessão que poderia definir a perda do mandato deveria acontecer hoje (1º), mas foi adiada após Luís Geraldo Sant’Ana Lanfredi, da situação, pedir mais tempo para analisar a situação. Ainda não há uma nova data definida para a sessão. 

Em contato com a reportagem, Marco Aurélio Cunha disse não ter causado nenhum mal ao São Paulo e acredita que a questão não seja técnica. “É totalmente político. Tanto não tem técnica que eu não cometi infração. Eu fui lá e pedi a licença”.

Foto: Reprodução
Fonte: UOL Esporte

O que achou?

Escrito por Natália Milreu