in , ,

Diniz viu outro jogo…

Fernando Diniz

Em entrevista após o jogo deste domingo contra o Vasco, Diniz gostou do que viu

O treinador são-paulino começou fazendo uma análise da partida e falou algo que não tem como concordar:

“Hoje a gente teve uma melhora de rendimento e não conseguiu o resultado. A gente não jogou bem na parte técnica contra o Fortaleza, mas conseguiu ser sólido na defesa e ganhou. É importante melhorar nossa produção, mas vencendo jogos”. disse o treinador, que seguiu:

“Teve um bom rendimento, conseguimos pressionar muito no primeiro tempo. No segundo também, em boa parte. Tivemos chances claras para marcar. Saímos com placar desfavorável já no segundo tempo e, embora a gente tenha criado, não conseguiu reverter o placar.”

Rendimento x resultado:

“É muito importante conseguirmos os resultados. Tivemos uma melhora no rendimento, mas ela tem que ser acompanhada de resultados. É importante melhorar a nossa produção, mas vencendo os jogos.”

Pato:

“Como sempre faço, coloco aqueles que eu acho que o momento do jogo pede. Estávamos com Paulinho aberto, colocamos Helinho, Igor e teríamos bolas mais alçadas na área, que era a intenção nossa e um jogador com a estatura dele [Carneiro] poderia levar mais vantagem”.

Quem joga? Experientes ou jovens?

“A questão nunca é jogador jovem ou experiente, eu boto os melhores para jogar. Sobre variação tática, acho que a gente tem. O Boia, por exemplo, é mais de drible, mais agudo. Quando coloco o Helinho temos velocidade. Ou o Gonzalo junto com o Pablo”.

Sobre a equipe:

“Temos variação tática. O time hoje produziu. O que se espera do treinamento, da mudança tática, não tem garantia de quem vai ganhar ou perder. A equipe evoluiu em termos de produção do jogo contra o Red Bull. Mas tem que se traduzir em resultados positivos”.

Produção contra o Vasco:

“O time hoje produziu. É o que você com o treinamento, com a mudança tática. Você não tem garantia de quem vai ganhar, mas a gente produziu, conseguiu marcar alto quase o tempo todo, teve bom controle e cedeu pouco contra-ataque, embora tenha sofrido gol assim”.

Evolução (?):

“A gente está melhorando. Do jogo contra o Red Bull para esse, em termos de produção, a equipe evoluiu. Mas, repito, isso tem que ser traduzido em resultados”.

Risco de queda:

“Não é uma coisa que preocupa (risco de cair), faz parte do futebol. Em um time como o São Paulo, quando o resultado não vem, esse tipo de assunto é corriqueiro. A gente tem que ter a cabeça no lugar e fazer o melhor para o São Paulo, para melhorar e os resultados virem”.

Time está sem confiança?:

“De maneira nenhuma. Tivemos menos confiança contra o Fortaleza do que hoje. Nós deveríamos ter ganho o jogo e produzimos para isso, mas não fez os gols que precisava. É um time experiente, misturado com jovens, que está se reafirmando de novo”.

Pressão por demissão:

“Isso faz parte do futebol. Quando você está em um time do tamanho do São Paulo e o resultado positivo não vem, esse assunto é corriqueiro. Tem que ter cabeça no lugar e fazer o melhor para o São Paulo, melhorar o time constantemente.”

Igor Vinícius ou Juanfran?

“Igor sempre tem possibilidade, assim como outros jogadores, hoje eu queria um jogador mais agudo para agredir por aquele lado do campo”.

Hernanes:

“É uma coisa que foi noticiada já, mas eu procuro tratar internamente, de uma maneira mais justa. Ele teve lombalgia e está voltando gradativamente, fazendo período de transição para voltar a jogar.”

Carneiro. Porque optou por ele?

“Ele vem se dedicando muito e melhorando nos treinamentos e mereceu a chance”.

Assista aqui a entrevista do treinador do Tricolor:

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara