in ,

Diniz sobre gritos de burro “O torcedor quer mais ganhar do que jogar bem”

No empate contra o Corinthians, Diniz escutou os primeiros gritos de “burro”

O empate do São Paulo com o Corinthians, no último sábado, pelo Campeonato Paulista, não ficou marcado apenas pelos erros de arbitragem, mas também pelos primeiros gritos de “burro” direcionados ao técnico Fernando Diniz desde a chegada ao Tricolor.

Aos 40 minutos do segundo tempo, o treinador tirou o atacante Pato e colocou o volante Liziero. A mudança irritou os mais de 44 mil torcedores, que não pouparam Diniz.

“Para o torcedor é muito difícil, ele quer ganhar. O torcedor do São Paulo está há mais de uma década sem ganhar títulos importantes. Mas, mesmo sendo difícil, o São Paulo saiu aplaudido contra o Novorizontino. O jogo contra o Santo André dividiu as opiniões. O torcedor não tem orgulho do resultado, tem orgulho do que vê em campo. Mas precisamos ganhar, porque o torcedor quer mais ganhar do que jogar bem. Acho que jogando bem a gente aumenta as chances de ganhar. Nesse sentido, estamos no caminho certo”, disse. 

E completou: “Espero muito que a gente consiga ganhar, o torcedor merece. Está tudo certo me chamar de burro, mas preciso ter coragem de fazer o que estou enxergando. O time não piorou com a entrada do Liziero. O torcedor queria ganhar o jogo. Eu estou aqui para o momento que o torcedor precisar xingar, não tenho críticas ao torcedor.”

Os problemas de finalização persistem nesta temporada. Com 116 chutes, o São Paulo é a equipe que lidera as estatísticas no Campeonato Paulista. O time, porém, só marcou seis gols no torneio, um aproveitamento de apenas 5,17%.

“O São Paulo é talvez o time que mais cria chances no mundo. Não é falta de querer, temos que fazer uma análise clara e justa, porque a gente não pode culpar o treinador sendo que o time apresenta coisas que poucos times no Brasil apresentam. A gente tem que fazer uma análise consciente e segura do que a gente está falando. O Diniz tem todo nosso respaldo, porque é notório que a equipe joga bem, está criando, mas precisa criar aquele “start” para gente começar a fazer os gols e ganhar os jogos para essa pressão não ficar em cima dele”, disse Volpi. 

Em seis jogos no Paulistão, o São Paulo acumula nove pontos. São duas vitórias e três empates. Diniz vê o São Paulo no caminho certo.

“O São Paulo tem um caminho, os jogadores se dedicam, são profissionais, tem qualidade, uma base que sempre nos socorre, o staff é muito bom, diretoria, todos caminhando juntos. Temos que insistir nas coisas certas. É isso o que eu penso na vida e no futebol. Temos que lutar pelo certo. Às vezes o certo não acontece o resultado. É tipo o cara que se cuida, se cuida, se cuida, e por um motivo foi atropelado, morreu, teve um infarto, a vida não tem garantias, o futebol não dá garantias. Acredito que na persistência somos premiados no final”, finalizou. 

Foto: Reprodução TV
Fonte: Globoesporte.com

O que achou?

Escrito por Natália Milreu