in ,

Diniz: “Não é só o São Paulo que tem dificuldades contra linha baixa”

Treinador são-paulino falou sobre a dificuldade da equipe em jogar com times mais retranqueiros

Diniz admite que o Tricolor tem dificuldade para passar pelas retrancas de adversários. Depois da vitória por 3 a 1 sobre o Bahia, pelo Campeonato Brasileiro, o treinador destacou a evolução de seu time após o intervalo para conquistar os três pontos.

No segundo tempo, o São Paulo fez três gols, dois de Luciano e um de Arboleda. 

Quando eu falo, não é só o São Paulo que tem dificuldades contra linha baixa. Se o time tem bons jogadores e um bom treinador, é difícil. E foi assim hoje, como foi contra o Ceará. A gente tem pouco tempo, mas a gente treina. Ontem, não foi só para recrear. A gente mostra vídeos. E temos uma base de treinamento para isso“, disse. 

E completou: “No primeiro tempo já fomos bem, mas no segundo evoluímos e sofremos riscos calculados. Criamos inúmeras chances de gol, mesmo antes de marcar, e fomos amadurecendo. Depois, quando o Bahia saiu um pouco, tivemos mais espaço para jogar.” 

No segundo tempo, um dos “riscos calculados” por Fernando Diniz foi recuar Luan para a zaga, depois de tirar Léo para a entrada de Tchê Tchê. Apesar de ter dado resultado, o treinador admite que o improviso não pode ser rotina.

“Isso é algo que pode acontecer, sempre está em mente, mas a princípio não é o que fazemos, de ter o Luan na zaga. Ele joga bem de segundo volante, está treinado para jogar na zaga, na lateral. É de conhecimento que eu gosto que jogadores joguem em mais de uma posição e eles treinam para isso. Hoje, a situação apareceu e eu achei que era uma forma de mudar a criação para melhorar”, falou. 

Foto: Reprodução TV
Fonte: Globoesporte.com

O que achou?

Escrito por Natália Milreu