in ,

Diniz explicou formação com um zagueiro no segundo tempo

Perdendo por 2 x 0 no primeiro tempo, Diniz tirou Anderson Martins no segundo tempo e deixou só Arboleda como zagueiro de ofício 

Neste domingo, o São Paulo perdeu para o Santo André por 2 x 1. O Tricolo, mais um vez, não soube aproveitar as chances que teve para empatar ou até mesmo virar a partida. 

Após a partida, Diniz lamentou o resultado e comentou sobre a formação da equipe no segundo tempo, que teve somente Arboleda como zagueiro de ofício na partida. 

“Para quem acompanha os meus trabalhos não é inusitado. Já fiz isso várias vezes. Foi uma coisa pensada, estudada… E deu certo. Tivemos volume, ficou menos vulnerável o contra-ataque no segundo tempo com essa formação”, disse. 

E completou, falando sobre o ataque, que mais uma vez teve chances de gol perdidas: “Claro que foi o ponto negativo do time de novo: inúmeras chances criadas e a gente não conseguiu aproveitar. Temos de começar a fazer os gols para vencer os jogos e ter uma margem para uma falha ou outra. Estamos todos os jogos no limite. E não foi só esse jogo. Tirando o jogo contra o Palmeiras, os outros jogos os goleiros foram os melhores contra o São Paulo. É uma coisa que precisa melhorar.” 

O treinador também comentou sobre os gols tomados, principalmente o segundo, onde teve uma falha geral do sistema defensivo. 

“Eu acho que… começando pelo primeiro gol, a arbitragem errou. A origem do escanteio, o jogador do Santo André estava impedido. Depois a gente teve uma falha, não tinha ninguém do rebote. E depois tivemos uma falha importante de marcação no segundo gol, uma falha coletiva. Ataque, de fato, foi um só, na defesa do Volpi. A equipe teve um volume grande. As falhas são corrigíveis. Temos de continuar criando, mas sem dar chance ao adversário”, falou. 

Foto: Marcelo Hazan
Fonte: Globoesporte.com

O que achou?

Escrito por Natália Milreu