in ,

Diego Lugano explica como foi ser dirigente do São Paulo

Lugano, quando era dirigente do São Paulo - (foto: Felipe Zito)

Lugano foi ao programa The Noite, de Danilo Gentili e se saiu bem às perguntas do apresentador do SBT

Gentili perguntou a Lugano, como foi sua experiência como dirigente do São Paulo. Se foi algo legal ou se foi ruim. O ídolo respondeu que foi algo muito útil.

Obviamente nada preenche o espaço de ser jogador. Obviamente que por eu ser capitão, eu tinha uma outra visão do futebol, que em muitos momentos eu precisava como dirigente, porém, o fato de você não conseguir algumas vezes fazer o que você pensa, por diversos motivos, a pessoa sofre de uma ansiedade que não fazer o que se deseja. Foi uma experiência incrível, aprendi muito. é um clube gigante.”

Futebol se mistura paixão, política, interesses, vaidade…é uma mistura incontrolável. Se você colocar o melhor empresário do mundo para dirigir um clube gigante, ele não vai se dar bem de cara. Mas eu gostei, aprendi muito…finanças, marketing, gestão…, mas você não pode mais fazer o que quer, pois tem que respeitar o que vem de cima”.

Em seguida, o apresentador questionou se a saída do São Paulo teve a ver com o treinador da época. Sem alongar muito, até para evitar possíveis polêmica, Lugano negou.

“Não, nada. Não teve nenhum problema”, disse o urugaio, enquanto tomava seu mate.

Antes de inalizar, Lugano foi questionado sobre o duelo entre São Paulo x Palmeiras, pela Copa Libertadores.

“O Palmeiras tem um time mais sólido e vive um bom momento, mas o São Paulo tem a história a seu favor, acho que vai ser bem disputado, mas acho e torço para que o São Paulo avance, até porque o São paulo precisa mais do que o Palmeiras”, finalizou.

O primeiro jogo entre as equipes nas quartas de final da Copa Libertadores, no Morumbi, ficou em 1 a 1. O jogo da volta será na próxima terça (17), às 21h30, no Allianz Parque. quem vencer segue na competição. Empate sem gols da a vaga ao rival. Outra igualdade em 1 a 1 levará a decisão para os pênaltis. Qualquer empate acima de 2 a 2, a vaga é do Tricolor.

Veja a entrevista completa:

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara