in ,

Destino Libertadores não será fácil

Time do São Paulo pela Libertadores. (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)

Após a eliminação na Copa do Brasil, a principal emeta são-paulina agora é conseguir uma vaga na Libertadores

Fiz um levantamento da pontuação do time que foi direto à fase de grupos e da equipe que conquistou uma vaga a pré-Libertadores e/ou primeira fase da competição continental.

Abaixo, vocês verão o ano, a equipe que se classificou direto, sua posição e a pontuação. Do lado, a mesma coisa, mas para o time que foi para a fase prévia a de grupos.

Nas 15 edições, o Tricolor conquistou a vaga para a Libertadores em 10 delas, sendo duas na fase ‘pré’ e oito direto.

Tentar igualar feito da Chape e do Grêmio

Desde 2006, quando fórmula atual da Série A foi adotada (pontos corridos com 20 clubes), só dois times saíram de onde o São Paulo está agora (16º lugar após 19 jogos) para conquistar a vaga na Libertadores: o Grêmio, em 2010, e a Chapecoense, em 2017 (vale ainda ressaltar que ambos se classificaram para a fase prévia, e não dirtamente para a fase de grupos).

Ou seja, para conseguirmos alcançar a pontuação da Chape (54), temos que fazer 32 pontos, nos próximos 20 jogos. Agora, se quiser tentar igual ao tricolor gaúcho, a missão será ainda mais difícil. Teremos de somar 41. “Mais fácil” focar nos 54 da Chapecoense.

A missão não é nada fácil, mas também não é impossível.

Veja abaixo o histórico da pontuação de classificação à Libertadores e como o São Paulo terminou cada edição do Brasileirão:

2006: Grêmio (3º) 67 pontos e Paraná (4º): 60 pontos – (São Paulo: 1º – 78 pontos)
2007: Fluminense (4º) 61 pontos e Cruzeiro (5º): 60 pontos – (São Paulo: 1º – 77 pontos)
2008: Cruzeiro (3º) 67 pontos e Palmeiras (4º): 65 pontos – (São Paulo: 1º – 75 pontos)
2009: São Paulo (3º) 65 pontos e Cruzeiro (4º): 62 pontos – (São Paulo: 3º – 65 pontos)
2010: Corinthians (3º) 68 pontos e Grêmio (4º): 63 pontos – (São Paulo: 9º – 55 pontos)
2011: Fluminense (3º) 63 pontos e Inter (5º): 61 pontos – (São Paulo: 6º – 59 pontos)
2012: Atlético MG (2º) 72 pontos e São Paulo (4º): 66 pontos – (São Paulo: 4º – 66 pontos)
2013: Grêmio (2º) 65 pontos e Botafogo (4º): 61 pontos – (São Paulo: 9º – 50 pontos)
2014: Inter (3º) 69 pontos e Corinthians (4º): 69 pontos – (São Paulo: 2º – 70 pontos)
2015: Grêmio (3º) 68 pontos e São Paulo (4º): 62 pontos – (São Paulo: 4º – 62 pontos)
2016: Atlético MG (4º) 62 pontos e Athletico PR (6º): 57 pontos – (São Paulo: 10º – 52 pontos)
2017: Flamengo (6º) 56 pontos e Chapecoense (8º): 54 pontos – (São Paulo: 13º – 50 pontos)
2018: Grêmio (4º) 66 pontos e Atlético MG (6º): 59 pontos – (São Paulo: 5º – 63 pontos)
2019: São Paulo (6º): 63 pontos e Corinthians (8º): 56 pontos – (São Paulo: 6º – 63 pontos)
2020: Fluminense (5º) 64 pontos e Santos (8º): 54 pontos – (São Paulo: 4º – 66 pontos)

1º – 3 vezes
2º – 1 vez
3º – 1 vez
4º – 3 vezes
5º – 1 vez
6º – 2 vezes
9º – 2 vezes
10º – 1 vez
13º – 1 vez

Hoje em dia, o que antes era G3, e virou G4, agora é G6. Porém, este ano, tem a enorme chance de virar G8 e ainda podemos ter um G9.

A pontuação mínima que um time foi para a Libertadores, foi 54 pontos em 2017 e 2020 (primeira fase da competição). Já para a fase de grupos, foi 61 pontos, em 2007.

Ou seja, o São Paulo precisa chegar na casa dos 60 pontos para pensar em vaga para a Libertadores, para isso, terá de somar, pelo mais mais de 33 pontos, nas 20 partidas que lhe resta nesta edição do Campeonato Brasileiro.

Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara