in ,

Daniel Alves se transforma no Xavi de Fernando Diniz

O debate se Daniel Alves teria de jogar na lateral ou no meio campo foi por água abaixo. Após ótimo rendimento, agora todos já sabem como e onde ele tem que jogar

Daniel Alves, no São Paulo veste a 10, mas é mais um 8, que pode virar cinco, às vezes um 2 e até 9. Porém, quando vamos escalar o São Paulo, ele vai automaticamente para o meio-campo. Hoje, a lateral-direita é do espanhol Juanfran, com isso, a dúvida que pairava no ano passado, quando ele chegou, (jogar na lateral ou no meio) acabou, pro bem dele e do São Paulo.

Parabéns a Fernando Diniz, que bancou o jogador no meio, escutou muitas críticas e reclamações e conseguiu encaixar o jogador onde melhor ele poderia render, hoje.

Relevando certas particularidades, Daniel Alves é, para o São Paulo de Diniz, o que era Xavi no Barcelona de Guardiola. É o espírito condutor e criativo do time. Daniel, assim como Xavi, vem começar o jogo, buscar a bola entre goleiro e zagueiros e começar as jogadas. Ganha terreno, vai se associando com os outros jogadores do time, caindo mais pelo lado direito e chegando à frente para armar, dar passes de morte ou finalizar. Ele é quem dita o ritmo, é o tal “maestro”, o “ritmista”, usando um termo recente falado por Tite.

Dani Alves tem mais velocidade e talvez até mais habilidade do que Xavi. Era um dos principais sócios do catalão no Barça, o que talvez facilite no que está se propondo a fazer neste ano. Sua desvantagem, claro, é não ter passado a vida inteira dominando a posição, como Xavi.

+ Daniel Alves comenta pronunciamento de Bolsonaro
+ Boas atuações de Dani Alves rendem elogios de jornal espanhol

Quando mudou do Sevilla para o Barça, Daniel se transformou. Deixou de ser um puro lateral direito ofensivo para se transformar em um atacante pela direita, um jogador mais completo e letal. Bebeu na fonte de Guardiola, de Xavi, fez parte de um time que está na história do futebol.

“Observamos algumas coisas no ano passado e foi uma construção conjunta. Nosso jogo começa por ele, é o condutor entre todas as linhas e pode aparecer em qualquer lugar do campo. Pela direita, onde domina tanto o espaço, faz jogo pelo meio, é armador, chega na área, faz gol, é realmente um cara muito, muito completo”, disse Diniz.

Não à toa, Daniel é o jogador do Campeonato Paulista que mais tem a bola, que mais troca passes e um dos que mais finalizam e desarmam. As duas pontas do jogo.

Fonte: Julio Gomes – UOL
Foto: Divulgação

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara