in ,

Crespo, você terá muito trabalho pela frente!

Técnico argentino chega no comando do São Paulo com uma pressão gigantesca por títulos após o fracasso da perda do Campeonato Brasileiro

Após o empate em 1 x 1 contra o Palmeiras, no Morumbi, no clássico da última sexta-feira, o Tricolor não tem mais chances de brigar pelo título do Brasileirão. 

Com sete pontos à frente do segundo colocado quando liderava o campeonato até o começo desse ano, a equipe caiu demais de rendimento e viu mais uma temporada acabar sem levantar um troféu sequer.

Crespo, que não tem culpa nenhuma da fila do São Paulo, já chega no clube com uma pressão enorme por título, bem mais do que quando Fernando Diniz chegou ao Tricolor. 

Tudo isso porque um título que estava em nossas mãos – era só administrar a vantagem que estaríamos levantando a taça agora em fevereiro – foi perdido sem explicação nenhuma de dirigentes e elenco. 

LEIA MAIS
Premiação do Brasileirão; veja quanto cada clube irá ganhar de acordo com a sua colocação
Atletas emprestados pelo São Paulo, saiba quem poderá voltar caso Crespo queira
São Paulo lança desafio nas redes sociais e ação irrita torcedores

Pode ter sido ego, birra para derrubar Diniz, dirigente chegando e mudando a rotina no CT, jogador descontente com mudanças na diretoria, não importa, o que importa é que esse elenco ficará marcado na história como um dos mais “bananões”, “pipoqueiros” e vagabundos que já passaram pelo Morumbi. 

Que Crespo faça uma limpa no elenco, e deixe realmente quem quer honrar e suar por essa camisa. Que saída lidar com os estrelas do elenco e os coloquem no lugar deles, que é de um jogador normal que não ganhou absolutamente NADA no São Paulo FC. 

O técnico argentino já tem pressão logo no jogo contra o Botafogo-SP, primeiro adversário do Tricolor no Campeonato Paulista, já no fim deste mês. 

O que nos resta é torcer para que ele lide bem com a pressão por títulos, e faça um bom trabalho, tirando enfim o São Paulo da fila, pois um clube tão grande como o nosso Tricolor, não merece fiar nessa decadência. 

O que achou?

Escrito por Natália Milreu