Coronel Marinho fala em punir brigões

Torcedores de Corinthians e São Paulo se confrontaram nos arredores do estádio em Limeira, palco da semifinal da competição

Após o episódio lamentável entre torcedores de Corinthians e São Paulo, que aconteceu em Limeira, nos arredores do estádio Major José Levy Sobrinho (Limeirão), depois do jogo pela Copa São Paulo de Futebol Júnior, mais uma vez o tema “violência nos estádios” voltou à tona na imprensa e nos torcedores de todo mundo.

Questionado sobre a falta de segurança, Marinho alegou que existe uma tensão e uma pré-disposição das torcidas, principalmente as organizadas, de criarem tumultos e confusões e que isso dificulta ainda mais o trabalho da Polícia e dos responsáveis pela organização.

“Quando há uma pré-disposição dos torcedores de se fazer alguma coisa, não há segurança que dê conta. A gente trabalha com planejamento para que não ocorra isso. Mas se as pessoas não colaboram, fica quase impossível a polícia dar conta. Em Limeira, a venda de ingressos foi limitada, as torcidas ficaram separadas e entraram por locais diferentes. Todo o trabalho foi feito como é feito na capital.”, disse Marinho.

O Coronel Marinho ainda afirmou que atitudes estão sendo tomadas para evitar que mais episódios como o desta terça-feira se repita no Campeonato Paulista.

“Todas as providências foram tomadas, mas mesmo assim, as pessoas não colaboram. O problema não é o estádio, o local do jogo. Poderíamos ter realizado o jogo em Barueri também. É um estádio normal. Enfim, depende muito da outra parte. A parte das autoridades, da Federação. Tudo foi feito. Todo o trabalho que é feito sofre desconfiança da população sobre a impunidade. Mas não tem que se criar mais nada em termos de lei, temos que começar a fiscalizar melhor e punir severamente os culpados. Isso não passará em branco”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *