in , ,

Conheça Gabriel Heinze e saiba qual sua metodologia de trabalho

Gabriel Heinze é um jovem treinador e teve seu nome comentado por alguns torcedores do Tricolor

Com cinco anos de carreira, o ex-defensor Gabriel Heinze treinou o Velez Sarsifield por dois anos e meio. Seus bons números no time de Liniers, fizeram com que torcedores são-paulinos citassem seu nome para uma posição contratação, para a vaga de Diniz, que não deve ter vida longa no Tricolor.

CARREIRA DE GABRIEL HEINZE

Como jogador:

O argentino começou sua carreira como jogador em 1996 no Newell’s Old Boys, na posição de zagueiro e lateral-esquerdo. Posteriormente, foi para a Espanha e passou pelo Valladoid (onde ficou de 1997 a 2001), depois defendeu o Sporting, Paris Saint GermainManchester United, Real Madrid, Olympique de Marselha e Roma, antes de voltar ao Newell´s em 2012.

Além disso, vestiu a camisa da Seleção Argentina 78 vezes contando com a sub-23. Faturou o ouro nos jogos Olímpicos de 2004, em Atenas e disputou duas Copas do Mundo, de 2006 e 2010.

Heinze anunciou sua aposentadoria no dia 21 de março de 2014.

Como treinador:

Pouco mais de um ano após anunciar a aposentadoria, Heinze virou treinador, e sua primeira equipe foi o modesto Godoy Cruz, de Mendoza, da Argentina. 

No clube Mendozino, ficou a frente em nove partidas, duas vitórias, dois empates e cinco derrotas. Na qual, foi demitido pelo mal aproveitamento. Ele utilizou 23 jogadores nesse pequeno tempo no Tomba.

Em seguida, o ex-defensor comandou o Argentinos Juniors, onde levou o time de volta à primeira divisão, após ser campeão da B Nacional.

De 1 de julho de 2016 a 01 de agosto de 2017, Heinze comandou o Bicho em 44 partidas. Foram 25 vitórias, 13 empates e seis derrotas. Na conquista do título da segunda divisão, 31 atletas participaram da campanha.

Após boa passagem pelo time que revelou Diego Armando Maradona, Heinze foi dirigir o Velez Sarsifield, onde ficou de dezembro de 2017 a março de 2020.

Nos 70 jogos que dirigiu o Fortín, Heinze venceu 31, empatou 21 e perdeu 18. Teve uma média de 1,27 gols marcados por jogo e 0,89 sofridos. 50 jogadores foram usados pelo treinador nesses quase três anos á frente do clube de Liniers.

Estilo de jogo

Aluno da escola de Marcelo Bielsa, Heinze tende a pôr seus times jogando de uma forma bem posicional, com jogadores bem definidos em seus lugares, sem ir até a bola, e sim, esperando ela chegar.

A formação preferida para seus times é o 4-3-3, como dois pontas rápidos e um “9” fixo.

Com a bola, o time se comporta deixando laterais abertos para gerar amplitude, e pontas bem enfiados, para gerar profundidade. Assim o time obriga o rival a se descompactar para fechar a marcação, abrindo mais espaço na defesa adversária.

Por mais que a construção de jogo de Heinze, tenda a ser mais lenta (já que procura por espaços), não é incomum ver lançamentos longos na equipe, e passes mais verticais que aceleram a jogada. Isso acontece porque o objetivo é achar sempre um companheiro livre, e caso isso aconteça, ele deve ser acionado rapidamente.

O mais importante de uma equipe que aposte em Gabriel Heinze, é saber que o seu trabalho pode levar algum tempo para dar grandes resultados, já que seu pensamento de jogo é complexo, e ele gosta de trabalhar e desenvolver jovens. Mas dentro do contexto do nosso futebol, é muito válido apostar em alguém com pensamentos tão positivos.

Foto: Divulgação

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara