Com Leco na presidência, São Paulo já arrecadou milhões em vendas

Leco chegou na presidência em 2015, e desde esse ano o clube já arrecadou cerca de R$ 550 milhões com vendas de jogadores

Leco chegou na presidência em 2015, e desde esse ano o clube já arrecadou cerca de R$ 550 milhões com vendas de jogadores

Desde que Leco assumiu a presidência do São Paulo em outubro de 2015, o clube já arrecadou cerca de R$ 550 milhões com vendas de jogadores.

A última negociação foi a de Antony para o Ajax e rendeu R$ 74 milhões com o  além de R$ 32 milhões que o clube ganhará agora pelos 20% de uma possível venda de David Neres. Há ainda a possibilidade do São Paulo receber outros R$ 28 milhões se o atacante atingir metas no clube europeu. 

O São Paulo passa por um momento complicado financeiramente, terminou o ano com um déficit de R$ 180 milhões. E neste começo de temporada atrasou salários e  direito de imagem. A projeção é que o valor recebido do Ajax dê mais “fluxo de caixa” ao clube nos próximos meses.

Dos últimos quatro anos, 2019 foi a temporada em que o São Paulo menos lucrou com a venda de jogadores. A diretoria recusou propostas e recebeu apenas R$ 60,8 milhões com negociações. O valor ficou bem abaixo do que havia sido previsto no orçamento aprovado pelo Conselho Deliberativo para o ano, que era de R$ 120 milhões.

Entre 2016 e 2018, por outro lado, o São Paulo foi o clube brasileiro que mais ganhou dinheiro com saída de atletas: R$ 383 milhões acumulados no triênio. O Palmeiras, segundo colocado neste quesito, arrecadou R$ 256 milhões com vendas no mesmo período.

Para 2020, o orçamento aprovado pelo Conselho Deliberativo prevê R$ 154 milhões com vendas de jogadores. Com a negociação que envolveu Antony e a porcentagem sobre David Neres, o São Paulo já atingiu 70% da meta. Outros atletas podem deixar o clube nesta temporada. 

Os valores arrecadados com negociações e outras receitas são usados, principalmente, para o pagamento das despesas operacionais do futebol profissional e da base em Cotia. Na primeira temporada completa de Leco na presidência, em 2016, foram R$ 270 milhões consumidos nas duas áreas. O número passou para R$ 354 milhões em 2017 e caiu para R$ 310 milhões em 2018. As outras despesas anunciadas no balanço do clube são com esportes diversos (como futebol feminino e basquete), clube social e o estádio do Morumbi, além de setores administrativos, como despesas de jogos e impostos.

Os balanços financeiros dos últimos anos mostram que a folha salarial do futebol profissional do São Paulo giravam em torno de R$ 10 milhões mensais. Nesta temporada, o valor deve continuar parecido, com destaque para os ganhos de Daniel Alves, de cerca de R$ 1,5 milhão por mês referente a salário, direitos de imagem e luvas (bonificação pela assinatura do contrato).

Foto: Mauricio Rummens – Fotoarena
Fonte: Estadão Conteúdo

Leave your vote

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.