in ,

Com Leco na presidência, São Paulo já arrecadou milhões em vendas

Leco chegou na presidência em 2015, e desde esse ano o clube já arrecadou cerca de R$ 550 milhões com vendas de jogadores

Desde que Leco assumiu a presidência do São Paulo em outubro de 2015, o clube já arrecadou cerca de R$ 550 milhões com vendas de jogadores.

A última negociação foi a de Antony para o Ajax e rendeu R$ 74 milhões com o  além de R$ 32 milhões que o clube ganhará agora pelos 20% de uma possível venda de David Neres. Há ainda a possibilidade do São Paulo receber outros R$ 28 milhões se o atacante atingir metas no clube europeu. 

O São Paulo passa por um momento complicado financeiramente, terminou o ano com um déficit de R$ 180 milhões. E neste começo de temporada atrasou salários e  direito de imagem. A projeção é que o valor recebido do Ajax dê mais “fluxo de caixa” ao clube nos próximos meses.

Dos últimos quatro anos, 2019 foi a temporada em que o São Paulo menos lucrou com a venda de jogadores. A diretoria recusou propostas e recebeu apenas R$ 60,8 milhões com negociações. O valor ficou bem abaixo do que havia sido previsto no orçamento aprovado pelo Conselho Deliberativo para o ano, que era de R$ 120 milhões.

Entre 2016 e 2018, por outro lado, o São Paulo foi o clube brasileiro que mais ganhou dinheiro com saída de atletas: R$ 383 milhões acumulados no triênio. O Palmeiras, segundo colocado neste quesito, arrecadou R$ 256 milhões com vendas no mesmo período.

Para 2020, o orçamento aprovado pelo Conselho Deliberativo prevê R$ 154 milhões com vendas de jogadores. Com a negociação que envolveu Antony e a porcentagem sobre David Neres, o São Paulo já atingiu 70% da meta. Outros atletas podem deixar o clube nesta temporada. 

Os valores arrecadados com negociações e outras receitas são usados, principalmente, para o pagamento das despesas operacionais do futebol profissional e da base em Cotia. Na primeira temporada completa de Leco na presidência, em 2016, foram R$ 270 milhões consumidos nas duas áreas. O número passou para R$ 354 milhões em 2017 e caiu para R$ 310 milhões em 2018. As outras despesas anunciadas no balanço do clube são com esportes diversos (como futebol feminino e basquete), clube social e o estádio do Morumbi, além de setores administrativos, como despesas de jogos e impostos.

Os balanços financeiros dos últimos anos mostram que a folha salarial do futebol profissional do São Paulo giravam em torno de R$ 10 milhões mensais. Nesta temporada, o valor deve continuar parecido, com destaque para os ganhos de Daniel Alves, de cerca de R$ 1,5 milhão por mês referente a salário, direitos de imagem e luvas (bonificação pela assinatura do contrato).

Foto: Mauricio Rummens – Fotoarena
Fonte: Estadão Conteúdo

O que achou?

Escrito por Natália Milreu