in ,

Ceni diz ter convicção que o Cruzeiro não cairia com ele no comando

Ídolo são-paulino lembra passagem turbulenta pela Toca da Raposa e acredita em final diferente se terminasse o Brasileirão no comando do time mineiro

Em entrevista ao UOL, o treinador do Fortaleza relembrou a curta e polêmica passagem pelo Cruzeiro no ano passado e revelou que se tivesse tempo, evitaria o rebaixamento da Raposa.

“Acho que foi um risco, não um erro, mas também um aprendizado. Tinha tudo para dar certo e o Cruzeiro não cair para a Série B, mesmo com todas as dificuldades financeiras e até com alguns atletas. Não deu e acabei voltando para o Fortaleza. Não pretendo mais sair”, comentou.

O treinador foi contratado pelo clube mineiro em agosto de 2019 e pouco mais de um mês depois acabou demitido. Foram apenas oito jogos e duas vitórias, deixando o Cruzeiro na 16ª posição do Brasileirão. No curto período, Ceni teve problemas com jogadores, em especial com Thiago Neves.

“Eu não gosto de falar sobre os atletas, não costumo fazer isso. Vitórias e derrotas são parte do processo. Outro dia vi que alguns reclamaram que eu teria dito que determinados jogadores eram mais velhos… Se eu coloco o Thiago Neves com o Fred e o Robinho, para meu estilo de jogo, mais agressivo e físico, não seria bom”, falou.

Mesmo com as adversidades, Rogério Ceni tem convicção que se terminasse o Campeonato Brasileiro pela Raposa, conseguiria evitar o primeiro rebaixamento da história do clube.

“Minha parcela de colaboração para o Cruzeiro estar na Série B é o meu trabalho no Fortaleza, que tomou uma vaga entre os 16 primeiros. O Cruzeiro é ótimo para trabalhar, pela estrutura, CT, funcionários educadíssimos em todos os setores (…) Mas com todas as dificuldades e com os meninos da base, podendo fazer as alterações, tenho a convicção de que o time não iria para a segunda divisão”, completou.

Fonte: UOL 
Foto: Divulgação

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara