Carneiro é punido por dopping de cocaína

Atacante é suspenso por 24 meses, retroativos à data da coleta, no dia 16 de março

Nesta quinta-feira, em Brasília, Carneiro foi julgado e punido com dois anos de gancho pelo Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJD-AD). 

A suspensão por 24 meses é retroativos à data da coleta, no dia 16 de março, quando o São Paulo enfrentou o Palmeiras no Pacaembu. Ou seja, Carneiro já cumpriu sete meses. O atleta foi flagrado no doping por uso de cocaína.

A decisão do tribunal cabe recurso e a defesa pretende recorrer, segundo o advogado Bichara Neto, também responsável por defender Paolo Guerrero, do Internacional, em caso similar.

“O tribunal entendeu que a utilização da substância não se deu de forma intencional, que o uso foi fora de competição, mas achamos que ainda assim a suspensão foi excessiva e pretendemos recorrer”, disse Bichara Neto.

Carneiro esteve na audiência, que também contou com a presença de um advogado do São Paulo. O clube discorda da decisão do tribunal e vai apoiar o jogador no recurso, de acordo com o diretor jurídico Leonardo Serafim.

O voto vencido no julgamento dava punição de um ano para Gonzalo Carneiro. A pena máxima prevista para esse caso era de quatro anos.

Suspenso preventivamente do futebol desde abril, Carneiro está proibido de frequentar o CT da Barra Funda e não recebe salários do São Paulo desde então.

O atacante foi contratado pelo São Paulo em abril de 2018 e assinou com o clube até 31 de março de 2021. O São Paulo pagou ao Defensor Sporting, do Uruguai, 800 mil dólares (R$ 2,6 milhões na cotação da época) por 50% dos direitos econômicos.