in ,

Belmonte fala sobre patrocínio máster e possíveis saídas

Belmonte. (Foto: Divulgação)

Em entrevista exclusiva ao Lance!, diretor de futebol do Tricolor detalha movimentações no mercado questão do patrocinador máster

Depois da conquista do Campeonato Paulista, quebrando um jejum de quase nove anos sem títulos, o São Paulo segue em busca de novos títulos na temporada e mapeia jogadores no mercado.

Esse foi um dos assuntos da entrevista exclusiva que o LANCE! realizou com o diretor de futebol do Tricolor Paulista, Carlos Belmonte. Entre outras coisas, o executivo falou sobre as negociações com o atacante Borré, do River Plate-ARG e o goleiro Ivan, da Ponte Preta.

Veja como estaria o Z4 se o rebaixamento fosse igual na Argentina

Veja abaixo as principais respostas do dirigente:

BORRÉ

​Hoje, não temos ligação e nenhuma conversa com o Borré. Nós tivemos uma conversa muito lá atrás, os valores ficaram muito acima do que o São Paulo poderia absorver naquele momento. Nós sabíamos que o Borré, em uma eventual contratação, ela só poderia ocorrer se algum investidor quisesse ser nosso parceiro e isso não ocorreu. Não temos nesse momento, condição financeira para pensar num jogador da envergadura dele. Não há nenhuma conversa retomada, só naquele momento.

NEGOCIAÇÕES COM O IVAN

Na verdade, nesse momento, não temos nenhuma conversa com o goleiro Ivan. O que ocorre, naturalmente, é que, não só com ele, mas com mais de 30 jogadores, nós temos um trabalho dos nossos scouts, o Muricy Ramalho, do próprio Rui Costa, de analisar alguns jogadores que estão no mercado. Obviamente que o Ivan é um goleiro de destaque, não vem jogando, teve uma contusão, e nós observamos e sempre continuamos observado qualquer jogador. Estamos satisfeitos com os nossos três goleiros, o Volpi, Perri, Thiago. Nesse momento, nós temos uma dificuldade financeira muito grande. O elenco nunca está fechado e estamos observado oportunidades de mercado para todas as posições.

BUSCA POR UM CENTROAVANTE

Na verdade, centroavante é uma posição que só temos um jogador, que é o Pablo. Estamos muito satisfeitos com ele, acabou de marcar três gols no jogo contra o 4 de Julho. Mas é a única posição que não temos um substituto imediato. Já trabalhamos ali o Vitor Bueno, Luciano, o próprio Eder, mas não são efetivamente centroavantes. É uma posição em que temos olhado mais. Então, continuamos de olho no mercado. Sabemos que o elenco que temos é possível disputar as competições.

POSSÍVEIS SAÍDAS DE JOGADORES

Por ora, não temos nenhuma proposta por algum jogador nosso. Sabemos que essa janela do meio do ano é uma janela mais importante e devemos ter alguma proposta. Nesse momento, não tivemos nada. Obviamente, o São Paulo sabe que devido a situação financeira com a pandemia, de tudo que envolve o futebol, temos sim, caso surja alguma proposta, que analisar muito bem. Temos a necessidade de vender jogadores, até para que o São Paulo tenha um reequilíbrio do caixa, que é uma proposta da gestão do Casares.

PATROCÍNIO MÁSTER

Somos do futebol, não temos trabalhado em buscar saber quem são eventuais patrocinadores. Sempre perguntamos ao Eduardo Toni (diretor de marketing do São Paulo), ao presidente Julio Casares, como vão as negociações e eles nos passam. Aqui no futebol, ficamos sabendo que a LG ia nos patrocinar a pouquíssimos dias (da final) para que pudéssemos estampar o logo deles na camisa. Eu sei que o trabalho está sendo feito, sei que tem propostas, há uma conversa muito forte entre o marketing e o presidente com eventuais patrocinadores. No entanto, não sei quem são e nem como estão as conversas. Nós, do futebol, preferimos ficar fora, esperando que o marketing, com toda a sua competência, consiga um patrocinador para nos ajudarmos.

SITUAÇÃO DE HERNANES

O Hernanes tem contrato com o São Paulo até o final da temporada e nós temos dito sempre isso, ele é um ídolo do clube, tem uma dedicação imensa com o São Paulo por muito tempo. Temos o máximo respeito com o trato com ele, que além de tudo é um jogador muito importante para nós dentro do clube, principalmente com os meninos da base, no vestiário. Um jogador comprometido, que trabalha muito. Não temos nenhum movimento. Há um contrato e ele tem que ser cumprido. É óbvio que nós temos conversado sim, na busca de eventualmente, não reduzir, porque não há nenhum motivo para reduzir o contrato que foi feito. Cabe ao São Paulo cumpri-lo. O que podemos fazer e temos conversado, não com o próprio Hernanes, mas com o empresário dele, é a possibilidade de escalonarmos mais esse pagamento (salário) no próximo semestre, jogando um pouco do pagamento para a próxima temporada. Isso tem avançado de forma muito tranquila.

O que achou?

Escrito por Rodrigo Alcântara