in ,

As opções de Diniz para substituir Antony no ataque Tricolor

São Paulo é o time que mais cruza no Paulistão, porém aproveitamento é baixo- Foto: Rubens Chiri

Jovem atacante foi vendido ao Ajax, e mesmo com o encerramento do campeonato holandês, ele deverá se apresentar em julho em seu novo clube

Vendido ao Ajax, Antony é desfalque iminente no São Paulo. No dia 1º de julho, o atacante precisará se apresentar ao clube holandês, e o técnico Fernando Diniz terá que achar um substituto dentro do elenco.

Embora a pandemia do coronavírus tenha encerrado antecipadamente o Campeonato Holandês (e sem um campeão), não há uma sinalização de que Antony permaneça mais tempo no São Paulo.

Fernando Diniz já trabalha com a ideia de perder o atacante na data prevista e faz planos para uma nova formação no retorno do futebol no Brasil. A diretoria não cogita contratações neste momento.

“Caso ele vá e eu não consiga contar com ele, tem que pensar em outras alternativas. São coisas que tenho pensado desde que parou a competição”, afirmou Fernando Diniz em entrevista à CBN.

Saiba quais jogadores Diniz poderá utilizar para substituir Antony:

PABLO

Quando Antony foi ausência no São Paulo devido à disputa do Pré-Olímpico com a seleção brasileira, Diniz optou por uma linha ofensiva composta por Vitor Bueno, Pato e Pablo.

Pablo começou como centroavante, mas o treinador passou a utilizar o atacante na ponta direita. Pato, então, se sobressaiu mais centralizado, e Pablo virou a primeira opção para o lugar de Antony.

PATO

Embora tenha se destacado como centroavante no início da temporada, Pato também pode ser aproveitado nas pontas. Foi assim que ele teve seus melhores momentos no ano passado com Cuca.

Em 2015, com Juan Carlos Osorio, o atacante viveu seu auge no São Paulo justamente atuando como pela beirada do campo.

HELINHO

O atacante de 20 anos, revelado na base do São Paulo, é o jogador que mais se assemelha a Antony no elenco. Canhoto, com o drible como principal característica, Helinho seria o substituto natural para manter o estilo de jogo. No entanto, ele ainda não conseguiu se firmar nos profissionais e recentemente se recupera de um estiramento nos ligamentos do tornozelo esquerdo.

TORÓ

O vigor físico e a velocidade são as principais características de Toró. Porém, o atacante, também revelado na base tricolor, ainda não conseguiu sequência com Fernando Diniz.

Se com Cuca ele foi titular em muitas ocasiões no ano passado, com o novo treinador as oportunidades pouco apareceram. E quando elas surgiram, como diante do Botafogo-SP, pelo Paulistão, Toró decepcionou e foi um dos piores em campo.

BRENNER

Centroavante de ofício, Brenner pode ser uma opção na beirada de campo devido a sua velocidade e juventude. O jogador, outro revelado na base do clube, fez boa pré-temporada e recebeu elogios da comissão técnica no início do ano.

Pelo Campeonato Paulista, o atacante fez um gol saindo do banco, diante do Novorizontino, e mostrou ser útil para Fernando Diniz.

EVERTON

O atacante viveu seu melhor momento com a camisa do São Paulo em 2018, sob o comando do técnico Diego Aguirre, justamente atuando pela beirada do campo. A velocidade e o drible rápido fizeram o jogador se destacar.

As inúmeras lesões, no entanto, prejudicaram Everton, que perdeu muito espaço no elenco. Este ano, ele entrou em campo apenas cinco vezes e não marcou nenhum gol.

ROJAS

Após quase dois anos longe dos gramados por conta de duas graves lesões, Rojas pode, enfim, voltar a atuar com a camisa do São Paulo. Assim como Everton, o atacante se destacou em 2018.

Com contrato até 31 de julho, Rojas pode ter seu vínculo estendido com o São Paulo até o final do ano. Pelo menos esse é o desejo do clube para que o atacante possa “mostrar serviço”.

CARNEIRO

Liberado a voltar ao futebol depois de cumprir suspensão por doping, Carneiro pode ser mais uma opção para Diniz. O uruguaio de 22 anos é canhoto e tem 1,94m de altura. Embora a estatura sugira um jogador de perfil exclusivamente de área, ele também pode atuar saindo de trás, com movimentação.

Quando contratado, em 2018, após boas referências de Diego Lugano, as principais justificativas para ir atrás do jogador eram a habilidade, a velocidade e a movimentação pelos lados do campo.

Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net
Fonte: Globoesporte.com

O que achou?

Escrito por Natália Milreu